Napoleão Maracajá defende descumprimento de decisão judicial que decretou ilegalidade da greve da educação

O vereador Napoleão Maracajá (PCdoB), presidente do Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste da Borborema (Sintab), explicou, durante entrevista à rádio Caturité, no início da tarde desta terça-feira, 10, que os servidores da educação deverão realizar uma assembleia na próxima sexta-feira para avaliar a greve e discutir a decisão da justiça, que decretou a ilegalidade do movimento.

A decisão sobre o futuro da paralisação será da assembleia, mas Napoleão foi claro ao afirmar que defende o descumprimento da sentença, prolatada ontem pelo desembargador Frederico da Nóbrega Coutinho. “O meu entendimento, o que não representa a decisão da assembleia, é de que a gente não deva cumprir essa determinação judicial”, disse Napoleão.

O presidente do Sintab considerou a decisão judicial contraditória. “A decisão de justiça é eivada de uma contradição muito grande. Este mesmo tribunal, embora tenha sido uma decisão monocrática, deu ganho de causa aos servidores, via Sintab, por quatro vezes, em 2010, 2011, 2012 e agora em 2013, numa ação para fazer cumprir a lei do piso”, declarou.

Em seguida, complementou o raciocínio: “Esse mesmo tribunal, que disse, nas quatro vezes, que é para o município pagar o piso proporcional às trinta horas, decreta a ilegalidade da greve que pede tão somente o cumprimento da sentença proferida por esse mesmo tribunal”. Napoleão Maracajá ainda acusou a gestão municipal de distorcer os fatos e promover uma campanha de ataques contra ele e o Sintab.

Nenhum comentário

.