Vereadores criticam suposto "jogo" de Napoleão e Miguel o desafia a propor redução do próprio salário para o mínimo


O vereador Napoleão Maracajá (PC do B) virou alvo de uma série de ataques dos seus pares, alguns longe dos microfones, que o acusam de tentar jogar a maioria dos parlamentares contra a opinião pública. Termos como “jogar para a galera”, nitidamente dirigidos ao comunista, foram distribuídos às dezenas durante vários pronunciamentos na sessão desta quarta-feira.

Um dos parlamentares que mais duramente criticaram o comunista foi o professor Miguel Rodrigues (PPS), que, com todas as letras, acusou o vereador e sindicalista de “jogar para a galera, jogar para a sociedade, fazer média”. Miguel, por sinal, lançou um desafio ao colega de parlamento.

“Se é para reduzir o recesso para trinta dias, vamos reduzir o salário dos vereadores para o salário mínimo. Se o vereador Napoleão Maracajá entrar com uma emenda reduzindo o recesso para trinta dias e o vencimento dos vereadores para um salário mínimo, eu voto a favor”, declarou Miguel durante e após a sessão.

O vereador voltou a insistir na crítica ao suposto jogo de cena do comunista. “É uma forma de você agradar aos servidores, às pessoas do povo que estavam nas galerias. Não é por aí. Não se faz parlamento para agradar A ou B que esteja presente. Se faz parlamento com seriedade, sendo realista”, concluiu Miguel Rodrigues. Napoleão Maracajá, por enquanto, não se manifestou a respeito das declarações do vereador do PPS.

Nenhum comentário

.