TRE amplia espaços para recadastramento na capital e trata Campina como cidadezinha qualquer

O caso é objeto freqüente de reclamação dos cidadãos campinenses nas redes sociais. O assunto já foi discutido e rediscutido várias vezes pelos vereadores de Campina Grande, que também já produziram requerimentos e até deram sinal de ir à cúpula do Tribunal Regional Eleitoral reclamar. A PMCG cedeu servidores e está disponível a ceder espaços públicos. Mas, nada adianta.

O TRE mantém o processo de recadastramento biométrico em Campina Grande limitado ao limitado fórum eleitoral do complexo jurídico. Quem quiser estar apto a votar no ano que vem, quem quiser manter-se em dia com a Justiça Eleitoral e evitar as sanções resultantes do não cumprimento da obrigatoriedade de exercer a democracia (?), que cuide em ir fazer o registro digital no fórum.

Perca-se um dia de serviço, deixe-se os deveres domésticos para o outro dia, leve um lanchinho e uma garrafa d’água na bolsa e vá, porque, embora haja aqueles que tenham conseguido atendimento após poucos minutos na fila, outros esperaram por horas, conforme relatos indignados nas redes sociais. Isso aqui, em Campina Grande, que, para o TRE, parece ser mesmo que Coxixola.

Aqui, só no fórum, mas na capital, diversos pontos e, ainda, com um detalhe: o dia pode (deve) ser agendado através do site do TRE. Nesta sexta-feira, o tribunal anunciou o aumento dos postos de atendimento na nossa bela capital, onde, por sinal, com tudo isso o atendimento ainda é muito ruim, segundo testemunhos. Sobre a ampliação dos postos, nada mais justo para, como registra a notícia da assessoria do TRE, o maior colégio eleitoral do Estado.

Só que Campina Grande é o segundo maior. Não o vigésimo. Não o octogésimo. O segundo! Por que, então, para a cidade apenas um local de recadastramento? Por que a inexistência de agendamento pela internet? Que afronta tamanha e tão absurda é essa do Tribunal Regional Eleitoral a essa urbe e sua gente? Ou tanto faz que o eleitor de Campina esteja habilitado ou não para votar?

Sim, porque nem todo mundo vai largar tudo para ficar horas numa fila a fim de cumprir uma “obrigatoriedade democrática”, ainda mais quando o voto vai, cada vez mais, tornando-se uma obrigação cumprida com má vontade, ao invés de um direito exercido com sentimento cívico. Dia destes vou lá e, se a demora for maior que trinta minutos, já que não dá nem para chamar o Procon, desisto.

Tribunal Regional Eleitoral, respeite Campina Grande!

Nenhum comentário

.