Bolsa Família alcança cobertura de 93% das famílias pobres de CG e cresce o atendimento na sede do Fome Zero


As equipes do Programa Bolsa Família em Campina Grande estão realizando o atendimento diário de até 700 pessoas, conforme informou na manhã desta terça-feira, 27, a coordenada do Programa Fome Zero no Município, Giovana Fernandes. “Temos atendido, em média, diariamente, até 400 pessoas, que recorrem ao posto do Fome Zero, no bairro da Prata, visando à realização ou atualização de cadastro no Bolsa Família, além da obtenção de esclarecimentos e orientações ou, ainda, para o encaminhamento de outras providências. Contudo, nas últimas semanas, o volume de atendimentos diário cresceu e chegou a 700 pessoas por conta do cadastro de famílias que contam com crianças em creches municipais”, explicou.

O Programa Bolsa Família destina-se à transferência condicionada de renda que beneficia famílias pobres e extremamente pobres, inscritas no chamado Cadastro Único. O PBF beneficiou, no mês de agosto de 2013, 30.946 famílias, representando uma cobertura de 93,1% da estimativa de famílias pobres do Município. As famílias recebem benefícios com valor médio de R$ 125,12 e o valor total transferido pelo governo federal em benefícios às famílias atendidas alcançou R$ 3.871.972 no mês.

De acordo com Giovana Fernandes, apesar do grande número de pessoas que procuram se cadastrar ou renovar o seu cadastro no Programa, nem todos preenchem os requisitos exigidos pelo Ministério do Desenvolvimento Social, pois os pais devem cumprir várias obrigações, sobretudo quanto à colocação de filhos em escolas públicas e a vacinação de crianças. Assim, o programa não apenas oferece benefícios financeiros mensais, no valor mínimo de R$ 32, mas exige que se cumpram certas obrigações imprescindíveis à valorização da cidadania.

Ela explicou ainda que o atendimento diário acontece pela manhã e à tarde, mas muitas vezes se prolonga até às 20h, tudo dependendo da permanência do sistema online mantido pelo governo federal. Assim, enquanto o sistema se mantém no ar, as equipes de cadastramento ou de atualização cadastral estão de prontidão para receber os que necessitam da assistência do Programa Fome Zero, sobretudo quanto à expedição de documentos como o NIS (Número de Inscrição Social).

A coordenadora orienta a população para que sempre procure o órgão visando fazer a atualização cadastral, pois muitas situações exigem este tipo de providência, a exemplo da mudança de endereço do beneficiário. “Isto demonstra que o Bolsa Família é de inclusão social, mas quem dele consegue benefícios deve, de forma permanente, atentar para o fato de que precisa estar em dia com as suas obrigações, pois só assim atenderá aos rigorosos critérios e requisitos exigidos pelo MDS e outros órgãos”, concluiu.

Fonte: Codecom

Nenhum comentário

.