Grupo de vereadores escolhe candidato para eventual antecipação da disputa pela presidência da Câmara

Nenhum vereador de Campina Grande admite publicamente a possibilidade de antecipação da eleição da mesa diretora da Câmara Municipal. A atual mesa, eleita em janeiro, após a posse, tem mandato até 01 de janeiro de 2015, quando só então deve acontecer o novo pleito.

Entretanto, como antecipar esse tipo de processo tornou-se um modismo, no qual a própria Casa de Félix Araújo embarcou na legislatura passada, quando antecipou a primeira reeleição do presidente Nelson Gomes Filho (PRP), fato é que, nos bastidores, a possibilidade de antecipação não é totalmente descartada.

Diante dos boatos sobre uma suposta movimentação do tucano Bruno Cunha Lima com vistas à presidência – o que, por sinal, ele negou veementemente – alguns vereadores, membros do grupo que deu o primeiro suporte para a reeleição de Nelson em janeiro, já se articulou para escolher um possível candidato, e a sorte recaiu sobre Hércules Lafite (PSC).

O parlamentar admite as conversações, mas apregoa que o debate é extemporâneo. “É um assunto que botaram em pauta e, sou muito sincero, não houve avanço, ainda, nessas negociações. Meu nome foi lembrado, e agradeço a lembrança de muitos, que me apontaram como nome de consenso. Mas, acredito que ainda é cedo. Essa discussão vai ser feita no momento oportuno, (a eleição) não vai ser antecipada”, analisou Lafite.

Pelo sim, pelo não, o candidato a pré-candidato tratou de assumir o interesse na função e apontar que tem as qualidades para o cargo. “Seria um privilégio para mim, como vereador de primeiro mandato, dirigir os destinos de uma casa como esta, até porque eu me identifico muito com a gestão, com a parte administrativa, que é meu forte. Mas, essa discussão deve acontecer na hora certa”, conclui.

Nenhum comentário

.