Vereadores de Campina Grande aprovam voto de repúdio ao jogador Neymar por suposta ofensa à Paraíba

Neymar em campo pelo Santos. Imagem: Portal oficial do jogador

O plenário da Câmara Municipal de Campina Grande aprovou, na manhã desta terça-feira, 23, requerimento de autoria do vereador Hércules Lafite (PSC) que concede voto de repúdio ao jogador de futebol Neymar, do Santos, que, durante uma partida com o Flamengo do Piauí, teria usado o termo “paraíbas” pejorativamente, como xingamento contra os atletas da equipe nordestina.

O fato teria ocorrido na quarta-feira da semana passada, segundo denúncia feita logo após a partida pelo jogador Lúcio, do Flamengo do Piauí, em entrevista à TV Bandeirantes. “O Neymar precisa ter um pouco mais de humildade. Ele fica humilhando, xingando os meninos mais novos aqui, chamando o pessoal de ‘paraíba’. Ele tem que ser um pouco mais humilde”, contou Lúcio.

Em seu site oficial, o jogador do Santos, que inicialmente preferiu ignorar a acusação, desmente que tenha tentado ofender os atletas do time piauiense. “O jogo acabou, fui tomar meu banho, e depois fiquei sabendo dessa história... Você acha que eu seria capaz de xingar alguém desse jeito ?? Não uso essa palavra e nunca usei ela pra xingar ninguém... É mentira isso aí...”, garante.

Durante a sessão na Câmara Municipal de Campina Grande, vários vereadores, comentando o requerimento de Lafite, não pouparam críticas ao jogador do Santos. “Quem acompanha a carreira desse cidadão sabe que ele é extremamente mal educado e arrogante”, disse Napoleão Maracajá (PC do B). “Não é possível cobrar uva de uma mangueira. Se queremos educação, devemos cobrar de quem a tem”, emendou Bruno Cunha Lima (PSDB).

O deputado federal Efraim Filho (DEM) prometeu levar a polêmica ao plenário da Câmara dos Deputados.

Um comentário

Anônimo disse...

Que tolice, os vereadores ocupados e gastando dinheiro público com isso. Quanta inveja do Neymar. E pensar que esse garoto pode nos dar tantas alegrias. E é bom frisar que isso tudo é baseado em uma informação que não sabemos se é verdade, de outro jogador que perdeu o jogo, afirma.

.