Vereador Rodrigo Ramos avisa que deixará MD se novo partido ficar sob o comando de Lídia Moura

O vereador do PMN - Partido da Mobilização Nacional, de Campina Grande, Rodrigo Ramos, anunciou, nesta quinta-feira (18) que vai deixar a legenda caso Lídia Moura, do mesmo partido, assuma o comando estadual do novo partido criado com a fusão PMN/PPS, a Mobilização Democrática (MD).

“Não concordo com a forma impositiva como Lídia Moura conduziu o PMN e já se auto-proclama presidente da MD, sem qualquer discussão. Se ela for comandar o partido, estou decidido que saio”, afirmou o vereador.

Segundo ele, a condução para a liderança do novo partido deve ser feita consultando as bases, de forma democrática. “Um partido não pode nascer já com esse tipo de imposição. Para isso, temos que ouvir todos os integrantes e verificar quem está mais preparado para dirigir a legenda”, acrescentou. Rodrigo Ramos defende o nome de Nonato Bandeira (PPS), vice-prefeito de João Pessoa para a presidência do Partido no Estado.

A fusão – Com a fusão do PPS com o PMN, foi criado o partido Mobilização Democrática, cujo diretório nacional será formado por 40% de integrantes do ex-PPS, 40% do ex-PMN e 20% para novos integrantes. Em todo o Brasil são 683.420 filiados. De acordo com a nova direção nacional, ainda não foram definidos os dirigentes estaduais da legenda.

Assessoria

Nenhum comentário

.