Lula Cabral afirma ter requerimentos iguais aos de colegas, mas sistema da CMCG não confirma “coincidências”


Há algumas semanas, o vereador Lula Cabral (PRB) mostrou-se profundamente irritado porque seu colega de parlamento, Alexandre do Sindicato (PTC), agradeceu em pronunciamento à prefeitura por ter atendido requerimento de sua autoria para implantação de um posto de saúde no bairro do Centenário, onde vive Alexandre.

Segundo Lula, seria da autoria dele o requerimento atendido pela prefeitura. Foi preciso que o presidente da Câmara, Nelson Gomes Filho (PRP), interferisse na controvérsia para retomar o andamento da sessão.

Nesta quarta-feira, o legislativo aprovou matéria do tucano Bruno Cunha Lima, que requer do poder executivo a instalação de um grupo de trabalho para as festividades do sesquicentenário de campina grande. Imediatamente, Lula Cabral pediu a palavra, afirmando categoricamente ser autor de requerimento de igual teor e cobrando que o documento seja apensado ao de Bruno.

No entanto, uma rápida busca no sistema online da Câmara Municipal de Campina Grande não confirma as declarações do vereador do PRB. Vejamos.

De acordo com o sistema, Alexandre do Sindicato deu entrada, no dia 12 de março, no requerimento N° 115, que tem a seguinte ementa: “Requer a construção de uma Unidade Básica de Saúde da Família no bairro do Centenário (UBSF)”. Buscando na relação de requerimentos de Lula Cabral, o sistema não apresenta qualquer matéria com teor semelhante.

O caso se repete no tocante a Bruno Cunha Lima. O sistema online da Câmara registra o requerimento N° 1013, de 24/04/2013, com a seguinte ementa: “Requer através do poder executivo que seja criada, por meio de órgão competente, comissão de comemoração do sesquicentenário de Campina Grande”.

Uma busca na relação de requerimentos de Lula Cabral, inseridos no sistema até esta quinta-feira, não mostra qualquer matéria com teor pelo menos semelhante. Como, então, o vereador afirmou, com tanta segurança (e, no primeiro caso, até irritação) possuir requerimentos similares?

Só há, aparentemente, quatro hipóteses: Ou Lula não apresentou tais requerimentos, ao contrário do que com firmeza declarou; ou o vereador determinou que fossem feitos e sua assessoria não cumpriu ou não pôde cumprir; ou a assessoria parlamentar ainda não deu entrada nas matérias; ou, finalmente, o sistema online da CMCG deixou de registrar justamente estes requerimentos.

Qual a hipótese mais verossímil para caso no mínimo tão pitoresco? Você decide!

Nenhum comentário

.