Na Câmara, secretária de Saúde explica municipalização da administração do Pedro I

A secretária de Saúde de Campina Grande, Lúcia Derks, participou de uma sessão especial na Câmara Municipal, convocada pelos vereadores para tratar do processo de municipalização da administração do Hospital Pedro I. Uma das principais preocupações dos parlamentares é a respeito da possibilidade de demissão dos trabalhadores da unidade hospitalar.

A secretária explicou que a intenção da Prefeitura é aproveitar os funcionários que já prestam serviço no Pedro I. “Claro que todos havemos de convir que deve ter funcionários, no meio de duzentas pessoas, que estão lá, mas que não contribuem com o hospital. Só que não será a secretária que vai dizer quem é esse funcionário. Queremos que a enfermeira-chefe que lá trabalha nos passe essa avaliação”, explicou Lúcia Derks.

Ela também explicou como se dará o processo de administração do hospital, que foi fundado pela maçonaria. “A maçanaria se retira da administração do Pedro I, que passa a ser gerido pela Secretaria Municipal de Saúde. Isso será feito através de comodato”, comentou a secretária.

O vereador Napoleão Maracajá (PC do B), autor da propositura para realização da sessão especial, se disse satisfeito com os esclarecimentos apresentados pela secretária Lúcia Derks.

“Muito positivo. Até então, nós não sabíamos detalhes sobre esse processo. Para mim, saio muito feliz, porque foi garantido que nós não teremos demissões. Pelo contrário, teremos a contratação de mais servidores. Isso tira de nós um peso muito grande, porque nossa preocupação maior era com os trabalhadores. São cerca de duzentos pais e mães de família que estavam na iminência de serem demitidos”, afirmou o vereador.

Nenhum comentário

.