Bomba: Energisa poderá perder concessão em Campina Grande no ano que vem

O vereador Inácio Falcão (PSDB), presidente da “CPI da Energisa”, que foi suspensa pela justiça, afirmou na manhã desta quarta-feira que a concessão da empresa em Campina Grande vencerá no ano que vem e poderá não ser renovada pela Câmara Municipal. “Essa concessão vence, salvo engano, em março do ano que vem. Se a casa entender que essa concessão não deverá ser renovada, o município passará a administrar o serviço”, explicou o tucano.

Questionado pelo blog se os vereadores teriam a coragem de “peitar” a poderosa Energisa, Falcão garantiu que sim. “Eu acredito que toda concessão tem que passar por uma avaliação profunda da Câmara e o plenário é soberano. Se o plenário não acatar o pedido de uma renovação, certamente terá condições de peitar a Energisa”, declarou o parlamentar.

Falcão criticou a decisão da justiça, que manteve o impedimento à CPI, instalada em 2010, e avisou que, diante do impasse, vai apresentar requerimento propondo a abertura de uma nova investigação. “A Energisa vem praticando irregularidades, e isso tem que ser apurado por este poder. A empresa está alugando as calçadas e as praças de Campina Grande. A cidade perde mais de R$ 3 milhões por ano com isso. Vamos fazer uma nova CPI, adequada ao parecer da justiça”, revelou o tucano.

O vereador Pimentel Filho (PMDB) também criticou a decisão da justiça de embargar a CPI. Para Pimentel, o judiciário fere, com essa posição, as prerrogativas do legislativo. O peemedebista também afirmou que a renovação para exploração dos serviços deverá ser minuciosamente analisada pela CMCG. “Nós vamos discutir esse assunto da concessão da Energisa aqui na Câmara Municipal. A renovação depende da Câmara”, ressaltou.

Nenhum comentário

.