Sindicato acusa Energisa de responder a greve com truculência

O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas da Paraíba (STIUPB) acusou, através do presidente Wilton Maia, a direção da Energisa de reagir com truculência à greve dos funcionários da empresa, um instrumento legal e legítimo dos trabalhadores na luta pelos seus direitos. Para o sindicalista, a reação seria uma tentativa de intimidar a categoria.

A Energisa ajuizou ação, que foi acolhida em sede de liminar pelo Tribunal Regional do Trabalho, determinando a manutenção de 40% da força de trabalho em atividade. O sindicato garante que a medida já vinha sendo observada e, portanto, respeitará a liminar.

“A empresa age com truculência, tentando até mesmo conduzir a justiça ao engano, quando entra com um pedido de liminar solicitando que os trabalhadores assegurem a manutenção de 40% dos funcionários em serviço, coisa que o sindicato já vinha cumprindo integralmente, desde o início da paralisação”, afirma Wilton Maia. “Mas, não vamos baixar a cabeça. Vamos nos manter firmes nessa luta”, assegurou o sindicalista.

Os eletricitários reivindicam da Energisa um tratamento isonômico entre funcionários do interior e da capital, fim das terceirizações de serviços e das demissões em massa. De acordo com o presidente do STIUPB, o movimento tem recebido um crescente apoio da categoria. “Paralisamos as atividades em cidades-pólos da Paraíba, contando com grande adesão dos trabalhadores. A campanha salarial 2012/2013 segue firme”, completou Wilton.

Assessoria

Nenhum comentário

.