Romero Rodrigues diz que recebe insultos diários, cita lei da física e avisa: "Não vou levar desaforo pra casa"

Questionado a respeito da repercussão das declarações nas quais afirmou que havia ladrões na gestão passada, o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB), disse que preferia não mais tratar do assunto, mas deixou claro que não pretende manter uma postura defensiva.

“Não é do meu feitio (adotar um tom áspero), a não ser quando sou indagado a ter que responder a alguma agressão ou algum tipo de insinuação, vou ter que responder no mesmo tom, porque eu não vou levar desaforo pra casa”, afirmou o prefeito, antes de participar da solenidade de abertura dos trabalhos na Câmara Municipal.

Instado pelos jornalistas a comentar a repercussão da sua fala, Romero disse ter agido como ser humano. “É uma tema que eu não gostaria de estar falando. Mas, evidentemente, eu sou ser humano e estou sendo insultado a cada dia. Existe a lei na física da ação e da reação. Você fica sendo insultado todo dia e às vezes acaba tendo que até exagerar na fala”, ponderou.

Romero, entretanto, avalia que apenas deu eco ao que já havia sido afirmado publicamente pelo ex-vereador Cassiano Pascoal (PMDB).

“A questão nominal a respeito de problemas na prefeitura foi citada pelo próprio chefe de Gabinete do ex-prefeito. Citou, inclusive, nominalmente. Não fui eu. Eu estou apenas reeditando algo que foi dito pelo chefe de Gabinete, que, coincidentemente, era filho da candidata a prefeita”, concluiu.

Nenhum comentário

.