Parceria entre PMCG, Estado, UEPB e Governo Federal, urbanização do Açude de Bodocongó pode ter início neste semestre

Informações da Codecom:

O Açude de Bodocongó, um dos cartões postais de Campina Grande, pode ter o projeto de revitalização iniciado ainda neste semestre. Envolvendo Prefeitura, Governo do Estado, Governo Federal e a UEPB, o projeto orçado em cerca de R$ 40 milhões, deve passar por alguns ajustes sobre o uso de áreas pertencentes à Universidade Estadual, integrando o projeto original do Governo do Estado com a proposta da Universidade para a revitalização e urbanização do Açude.

O prefeito Romero Rodrigues agendou a reunião, realizada nesta segunda-feira, 04, na Seplan – Secretaria de Planejamento, com o objetivo de promover a convergência em torno do Projeto. “É uma reunião de ajustes até porque as três partes envolvidas ainda não tinham conversado. Agora estamos buscando nos entender em torno do projeto, dialogando também com a UEPB. Acho que agora a gente vai conseguir avançar”,  considerou o prefeito.

De acordo com Romero, após os entendimentos sobre o projeto, será lançado o edital de licitação, com previsão de 12 meses de cronograma de execução da obra. Essa semana os arquitetos da Prefeitura, do Governo do Estado e da UEPB se reunião para discutir a reformulação do projeto.

Será de responsabilidade da Prefeitura, que entrará com recursos de R$ 8 milhões, a dragagem do Açude. A idéia é, a partir de convenio com o Governo do Estado, fazer uma licitação única de todos os serviços.

Para o superintendente da Suplan - Superintendência de Obras do Plano de Desenvolvimento do Estado da Paraíba, Ricardo Barbosa, o resultado deste projeto representará uma das maiores parcerias já firmadas entre o Governo do Estado, Prefeitura de Campina Grande e UEPB. “Essa será a transformação de um sonho em realidade” declarou Barbosa.

A obra de urbanização, que segundo Barbosa transformará o Açude de Bodocongó em Parque Bodocongó, contemplará, além da urbanização, a instalação de ciclovias, pista de cooper, restaurantes e quiosques (será serão integrados a uma Praça de Alimentação). Também será construído um orquidário e será feita a revitalização da mata ciliar, localizada no entorno do açude.

O projeto contemplará ainda os serviços de drenagem, pavimentação e esgotamento sanitário de toda a área onde está localizada a Vila dos Teimosos. “Serão executadas ações reestruturantes na Vila dos Teimosos”, disse. A parceria com a Prefeitura de Campina Grande promoverá ainda os serviços de dragagem e a despoluição do açude.

Para o reitor da UEPB, Rangel Júnior, trata-se de uma obra de grande porte que terá um impacto social muito importante, beneficiando centenas de famílias e valorizando a área do  Açude. “A gente vai criar condições para que o Açude continue vivo. Temos muito a contribuir com o projeto.”, ressaltou Rangel.

A UEPB é proprietária de parte do território incluído no projeto e também possui um projeto de um plano diretor para o Campus que envolve o contorno do Açude.

Codecom

Nenhum comentário

.