“O presidente sou eu, não é Ivonete, Pimentel ou Bruno. Se alguém der um grito, eu darei dois”, avisa Nelson


A conturbada sessão da última quinta-feira forçou o vereador Nelson Gomes Filho (PRP), presidente da Câmara Municipal de Campina Grande, a sair da sua costumeira fleuma, dando vazão ao temperamento de sertanejo de Catolé do Rocha para tentar pôr ordem na casa antes que um incêndio tomasse conta do plenário.

Questionado a respeito da controvérsia em torno do projeto apresentado pelo vereador Bruno Cunha Lima (PSDB) para aumentar o número de comissões permanentes de sete para treze, Nelson afirmou que a matéria não teria sido protocolada a tempo de cumprir os prazos regimentais e, portanto, não podia ser apreciada na sessão de ontem.

“Queriam tentar um consenso, mas, se fosse assim, era melhor rasgar o Regimento Interno e eu não posso admitir isso”, afirmou. Sobre o bate-boca resultante do impasse e das trocas de farpas entre Pimentel Filho (PMDB) e Ivonete Ludgério (PSB), Nelson foi enfático, e garantiu que ninguém vai tomar o controle da Câmara.

“O presidente da casa sou eu, não é Ivonete, não é Pimentel, não é Bruno. O presidente da Câmara se chama Nelson Gomes Filho. E se tiver erro, eu não permito”, bradou, irritado.

Na volta da sessão, Nelson, ainda profundamente aborrecido, mandou um recado: “Essa casa não tem dois presidentes. Essa casa só tem um presidente. O presidente dessa casa se chama Nelson Gomes Filho. Ninguém me grita. Se me der um grito, eu dou dois. Respondo aqui na tribuna, não respondo lá fora não. Eu mereço respeito, assim como respeito meus companheiros”.

Nenhum comentário

.