Na Câmara, Romero anuncia que PMCG vai assumir gestão do Pedro I e implantar cartão temporal em março

Participando pela primeira vez como prefeito da sessão de abertura dos trabalhos na Câmara Municipal de Campina Grande, Romero Rodrigues voltou a fazer um balanço do quadro em que teria encontrado o município, citou dificuldades e problemas, mas também apresentou boas notícias.

A principal é a decisão da Prefeitura de assumir integralmente o controle do Hospital Pedro I, que estaria às portas do fechamento. “Não poderíamos ficar inertes frente às dificuldades financeiras do primeiro hospital da cidade. Não poderíamos esquecer aquela casa de saúde, fundada em 1932”, revelou o prefeito.

“O hospital tem permanecido em funcionamento em virtude da luta abnegada dos seus gestores e de profissionais que engrandecem a prática da medicina oferecendo seus serviços para os mais necessitados. Não poderíamos permitir que uma entidade civil, sem fins lucrativos, filantrópica e de assistência social fechasse suas portas por negligência do poder público, depois de oitenta anos”, completou Romero.

De acordo com o prefeito, será firmado um contrato de dez anos com a direção do hospital, que deverá ser reinaugurado no dia 07 de abril. “A partir de hoje já vamos colocar alguém da Secretaria de Saúde dentro do Pedro I para tomar as providência a fim de proporcionar, digamos, uma transição até o dia 07”, explicou.

Cartão temporal

Romero Rodrigues também anunciou a implantação do sistema de cartão temporal no transporte coletivo da cidade, já a partir do dia 01 de março. Conforme o prefeito, o novo sistema será incrementado gradativamente. Pelo menos de início, o Terminal de Integração continuará em funcionamento.

“Depois, a depender da aceitação da população, deverá ser desativado gradativamente. O terminal foi uma ação importante, e nós reconhecemos, mas o cartão temporal é uma inovação a mais, muito melhor”, explicou o chefe do poder executivo.

Nenhum comentário

.