Everaldo Catão deixa presidência do PC do B de Campina. Cargo foi declarado vago e vice assume

O vice-presidente do PC do B de Campina Grande, Ronaldo Meneses, informou hoje à noite que o cargo de presidente da legenda na cidade foi declarado vago. A decisão passou pelas instâncias municipal e estadual da sigla. Everaldo Catão, agora afastado do cargo, voltou a morar na cidade de Olinda, Pernambuco.

Everaldo, que é servidor daquele município, estava cedido à Universidade Estadual da Paraíba, mas, no dia 01 de janeiro, o reitor Rangel Júnior resolveu devolver o servidor e correligionário. A maioria dos comunistas teria entendido que, trabalhando em outro estado, Everaldo não mais poderia continuar à frente do partido. 

“Primeiro foi uma decisão da direção estadual que entendeu que, como o agora ex-presidente do partido está trabalhando em outro estado, não poderia dirigir o partido em Campina Grande. Então, a decisão foi trazida à cidade, tomada em plenário, com a concordância da grande maioria, que entendeu, também, que o cargo estava vago”, explicou Ronaldo.

Na condição de vice, Ronaldo Meneses assume temporariamente a direção do PC do B municipal. No dia 16, o partido deverá escolher um novo presidente, também para um mandato temporário, até julho, quando ocorre a conferência que formará a nova diretoria.

Entre os prováveis candidatos, estarão o próprio Ronaldo e a ex-coordenadora do Procon, Gláuce Jácome, mas, como ambos pertencem ao grupo da ex-reitora Marlene Alves, é provável que ocorra um consenso e apenas um ponha o nome à disposição dos comunistas.

Everaldo Catão, juntamente com o sindicalista José do Nascimento Coelho e o ex-vereador Ivam Freire, formam a cúpula do grupo antagonista, que é contra a presença do PC do B no governo municipal. Logo, também é provável que o bloco lance candidato à presidência.

Nenhum comentário

.