Com emenda, vereadores aprovam projeto do executivo que reajusta piso do magistério em 10%


A Câmara Municipal de Campina Grande aprovou, em sessão realizada na manhã de ontem, o Projeto de Lei Complementar 001/2013, de autoria do poder executivo, que concede reajuste de 10% ao piso salarial do magistério. A matéria recebeu uma emenda, proposta pelo vereador Olímpio Oliveira (PMDB), estabelecendo que o aumento deve beneficiar também os servidores inativos da educação. A emenda dependerá da sanção do prefeito.

“É louvável esse aumento, mas nós percebemos que faltou deixar claro no projeto que esse reajuste também seria extensivo aos aposentados e pensionistas. Eu não acho justo que você trabalhe a vida toda e, na hora em que vem o reajuste, você não tem acesso a ele”, comentou Olímpio Oliveira. Na mensagem aos vereadores, o prefeito Romero Rodrigues lembrou que “o reajuste concedido pelo Governo Federal em 2013 foi o menor das últimas três reposições”.

O texto do projeto ainda pondera que “se o Governo Federal estabeleceu um percentual de apenas 7,97%, era de se esperar que o Município de Campina Grande, que passa por um momento difícil, deveria, apenas e tão somente, repassar aquele percentual, que é reflexo do Fundeb”, e afirma que “a atual gestão não mediu esforços para adotar medidas corajosas de elevar o percentual estabelecido pelo Governo Federal, visando restabelecer uma recomposição salarial digna do magistério”.

O vereador Napoleão Maracajá (PC do B), que é presidente do Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste da Borborema (Sintab), elogiou o índice concedido pela prefeitura aos professores, mas afirmou que o governo precisa contemplar, também, outras categorias da educação. “A atitude do executivo em repassar o reajuste dado pelo Ministério da Educação e um pouco mais não deixa de ser louvável. No entanto, entendemos que essa medida tem que ser casada com outras”, ponderou.

Nenhum comentário

.