Exclusivo: Direções estadual e nacional do PCdoB liberam comunistas para compor governo de Romero


Uma reunião, encerrada há poucos minutos, entre lideranças do PC do B paraibano deve por fim à dissensão a respeito da presença ou não de membros da legenda no governo do prefeito diplomado Romero Rodrigues (PSDB).

O tucano convidou a ex-reitora Marlene Alves para assumir a Secretaria de Cultura do Município, mas uma ala comunista posicionou-se radicalmente contra, alegando razões de ordem nacional que impediriam o PC do B de compor governos do PSDB.

“A questão aqui é de ordem local, é a política paroquial. Nada muda em nossa relação nacional com o PSDB e Romero foi informado disso. Mas, no plano local não temos porque nos mantermos obrigatoriamente distantes de outros partidos que não formam a base nacional. São esferas diferentes”, afirmou Ronaldo Menezes, vice-presidente do PC do B de Campina Grande.

“Tanto é assim que o diretório estadual, antes de dar o aval a nossa participação no governo Romero, ouviu o comando nacional. O entendimento é lógico e claro”, comentou Ronaldo. Além da Secretaria de Cultura, o PC do B deverá figurar em cargos do segundo escalão da gestão tucana.

Apesar de alegar razões ideológicas e programáticas, o bloco contrário à aliança do partido com Romero Rodrigues é, na verdade, alinhado com o prefeito Veneziano Vital do Rêgo (PMDB) e essa seria a real motivação do grupo contra a ida de comunistas para a gestão que se inicia em primeiro de janeiro.

Nenhum comentário

.