Coelho refuta adesão do PCdoB a Romero. “O partido não vai se aliar ao PSDB para garantir cargos”

O sindicalista e diretoriano do PC do B José do Nascimento Coelho enviou nota, agora há pouco, em que volta a contestar a possibilidade de aliança entre o partido e o PSDB. O documento foi divulgado por conta das informações, ainda não oficialmente confirmadas (mas verossímeis), de que a comunista Marlene Alves, ex-reitora da UEPB, foi convidada para assumir a Secretaria de Cultura do governo Romero Rodrigues. Coelho faz elucubrações a respeito do cenário nacional para justificar sua posição que, garante, é a mesma de boa parte dos dirigentes do PC do B estadual.

Veja a nota, na íntegra:

O líder sindical e membro dos Diretórios Estadual e Municipal do PCdoB, José do Nascimento Coelho, afirma que a eventual participação do partido na administração do prefeito eleito Romero Rodrigues (PSDB) significa um retrocesso, um atraso à história da militância comunista campinense/paraibana e que o partido não vai se aliar ao PSDB para garantir cargos.

“O PCdoB não formou aliança com o PSDB, vamos nos manter oposição aos projetos neoliberais, o que existe na realidade são alguns camaradas do partido buscando a garantia de emprego na estrutura administrativa do prefeito Romero Rodrigues”, assinala Coelho.

Segundo ainda o sindicalista, durante reunião recente do partido com o prefeito diplomado Romero Rodrigues, não ficou acordado a participação do PCdoB em sua gestão. Neste sábado, 29, haverá outra reunião, dessa vez com a executiva estadual, em João Pessoa, para tomar um posicionamento com relação a esta situação. “Qualquer decisão do Comitê Municipal ou do Estadual será levada para a análise da direção nacional, visto que em todo o país o PSDB é oposição ao governo federal e não está alinhado a nossa política”, argumenta o comunista.

José do Nascimento Coelho afirmou que uma minoria dos dirigentes partidários em Campina apoia a aliança com o PSDB, e que na decisão que ocorrerá nesta reunião, na Capital, poucos estão aptos a votar.

“Nós fazemos parte da base aliada do governo federal, e consequentemente é contraditório fazer parte de um governo que defende um projeto neoliberal, contra todas as políticas do governo da presidenta Dilma. Os membros do diretório não concordam com este posicionamento, e poucos estão aptos a votar. Não será uma decisão unânime”, assinala Coelho, adiantando que qualquer membro do PCdoB que venha a se aliar ao PSDB deve pedir desfiliação imediatamente, já que não existe possibilidade de entendimento do “nosso partido com esta aliança”.

Nenhum comentário

.