Exclusivo: Bala Barbosa afirma que vereadores não assinaram nota que contraria diretório

O presidente do PMN municipal, Bala Barbosa, em contato por telefone com o blog, rebateu a nota enviada com a suposta subscrição dos três vereadores eleitos da legenda, cujo teor contraria a decisão do partido na cidade. Direto ao assunto, Bala afirmou que pelo menos Galego do Leite e Sargento Régis não teriam assinado o documento. “Galego está fora do Estado e Régis me confirmou que não assinou nada”, disse Bala.

Bala Barbosa elogiou o coordenador de Comunicação da PMCG, disse manter uma excelente relação com o jornalista, mas foi enfático. “A nota foi divulgada por Carlos Magno e ele não é nada do PMN”, disse.

Sobre o apoio ao governo Romero, Bala disse tratar-se de uma definição focada nos interesses da cidade. “Temos que apoiar o governo naquilo que é certo e sermos críticos naquilo que entendermos que não seja bom pra Campina Grade. E isso não nos afasta nem faz ser oposição ou situação. Faz ser um apoio ao governo que se instala e que precisa desse apoio”, comentou.

De acordo com o dirigente, o acordo com Romero não teria sido vinculado à concessão de cargos. “Participamos de uma campanha e perdemos a eleição. O partido não está em projeto nem de A nem de B. O partido pretende ter candidato a senador, a governador. Elegemos 28 vereadores no Estado e dois prefeitos”, asseverou.

“Entendemos que, se não coligarmos com ninguém, poderemos fazer dois deputados estaduais, no mínimo, e podemos fazer um federal. A direção não tem nenhum cargo. O cargo foi pra Alcindor, que já mantém uma relação muito boa (com Romero). Temos todo o respeito aos nossos vereadores, mas é preciso que os interesses de Campina estejam acima de qualquer briga de grupo”, complementou.

Bala Barbosa ainda contestou a decisão dos vereadores de escolher Rodrigo Ramos líder da bancada. “Quem indica o líder é a direção municipal, com o aval da estadual e a autorização da nacional. Assim acontece, inclusive, no Congresso. Quem indica o líder é o partido. Com certeza o líder não será o Rodrigo”, declarou.

No entendimento de Bala, a decisão em relação ao governo Romero não implica em declarar guerra a Veneziano. “Não nos afastamos dos laços de amizade que temos com o prefeito Veneziano, não temos nenhuma restrição, nada contra. Agora, temos a responsabilidade de o governo que se instala a gente apoiá-lo, dentro daquelas condições que não são cargos: projetos, propostas, e é o que estamos fazendo”, concluiu.

-------
Nota do blog

O espaço está aberto para a manifestação de todos os citados, a exemplo do jornalista Carlos Magno e do vereador eleito Rodrigo Ramos. Qualquer manifestação pode ser feita por telefone ou via e-mail: lenildoferreira@gmail.com

Nenhum comentário

.