Prefeito teria em mãos dossiê provando que jornalista estaria tentado extorqui-lo


Essa é quente. O prefeito de uma cidade paraibana estaria com um dossiê em mãos provando a tentativa de extorsão promovida contra ele por um jornalista. Não perguntem o nome do prefeito nem muito menos do profissional em questão, porque eu sequer inquiri a fonte da informação a respeito desse detalhe (sim, no caso, é um detalhe, porque o relevante, aqui, é o nefasto milagre e não os nomes dos santos).

Se o político resolver, como alguns esperam, detonar a bomba, em breve ela explodirá e a catinga da pólvora vai infestar a Paraíba. Se, no entanto, ele decidir apenas usar as provas (áudios e vídeos, ao que parece) que teria em seu poder como uma espécie de antídoto contra o suposto veneno do jornalista, tudo não passará de um segredo guardado às sete chaves que os dois levarão para o além-túmulo.

Por falar em morte, essa prática de conseguir contratos de publicidade à força está cada vez mais viva do que nunca na Paraíba. Descobriram aquilo que Chatô aprendeu cedo: que o jornalismo minimamente sério e ético é tratado com desdém, sobretudo por políticos, de sorte que se dá bem melhor com essa classe quem sabe manipular o poder do jornalismo para o mau – há exceções, claro!

Todavia, cada vez mais as exceções são apenas pequenas exceções.

Nenhum comentário

.