Em pronunciamento comovido, vereador Olímpio Oliveira relata drama da seca no Cariri

Durante a sessão de hoje na Câmara Municipal de Campina Grande, o vereador reeleito Olímpio Oliveira (PMDB) fez um relato comovido e comovente sobre o sofrimento que a prolongada estiagem vem impingindo aos agricultores do Cariri paraibano, com desenlaces trágicos envolvendo, inclusive, um parente do parlamentar. 

“Passado o período eleitoral, eu tinha uma dívida com meu pai. Ele tinha me feito o pedido de, após a campanha, a gente ir lá em Santo André, no nosso Cariri. E confesso que foi a pior viagem que eu fiz ao Cariri”, iniciou Olímpio.

Comentando um diálogo que teve com o colega João Dantas às vésperas da viagem, quando o vereador do PSD comentou as belezas da região, Olímpio registrou um lamento. “De fato, o Cariri é bonito de todo jeito. Só é feio do jeito que eu encontrei: um deserto. Nem o verde, que tanto os nossos olhos gostam de enxergar, nem a caatinga salpicada aqui e acolá com a palma forrageira”.

O peemedebista afirmou que essa tornou-se a pior estiagem a atingir a região, por conta também da praga da cochonilha do carmim, que destrói a palma, alimento salvador para o gado, que, sem esse recurso, morre de fome. “E o gado do pobre é diferente do gado do rico. O do pobre tem nome. É vaca Estrela, é boi Fubá, é Mimosa. É um ente da família”, prosseguiu.

Olímpio destacou a luta diária dos criadores para tentar alimentar o pequeno rebanho. “Eu vi meus irmãos caririzeiros arrancando mandacaru, xique-xique, macambira, cavando com o sol inclemente uma vala no chão para tirar espinho, jogar isso dentro, queimando a coivara, depois tirar o talo desses cactos para dar ao animal. Imaginem todo dia você ter que fazer isso”. 

Em seguida, relatou a tragédia que se abateu sobre familiares seus na região. “O jovem Júlio Alves Fausto, casado com uma prima minha, um matutinho, de 35 anos, cumpriu esse ritual derradeiro e, depois, amarrou uma corda no pescoço e pulou de cima de uma árvore. Um pai que não resistiu à pressão de ver a vaca Estrela, o boi Fubá e Mimosa morrerem, mesmo diante de tanto esforço”, contou.

Por fim, o vereador lembrou que são inúmeros os casos semelhantes de pessoas “em desespero de vida” por conta da seca que assola o Nordeste.

Nenhum comentário

.