Após eleições, vereadores “somem”, trabalhos param e presidente ameaça punir os faltosos

Passado o pleito de outubro, quando menos da metade dos atuais vereadores conseguiu garantir a reeleição, o legislativo campinense segue com sessões vazias, resumidas a discursos e discussões políticas, sem quorum que permita a apreciação de qualquer matéria. Desde o fim do segundo turno, os trabalhos deveriam ter retornado à normalidade, com as três sessões semanais. Mas, não é o que vem acontecendo.

Por falta de quorum, nem mesmo meros requerimentos podem ser votados e o parlamento ainda precisa votar a Lei Orçamentária Anual 2013. O próprio presidente da Câmara, Nelson Gomes Filho (PRP), registrou que apenas cerca de um terço dos dezesseis vereadores têm comparecido às sessões.

“Não temos quorum, por falta dos companheiros que não tiveram êxito e também dos que tiveram, porque nosso quorum está sendo entre cinco e seis vereadores. Não podemos votar nem sequer requerimentos, muito menos projetos. Nem voto de pesar podemos votar”, afirmou Nelson.

O presidente convocou uma reunião para a manhã da próxima terça-feira e avisou que vai se reunir com a Mesa Diretora e discutir a possibilidade de punir os faltosos. “Peço que ninguém falte à reunião. Como presidente, não posso forçar (a presença dos demais), mas vou convocar a mesa para ver que posição podemos tomar para que haja uma punição para os faltosos”, garantiu.

Nelson ainda lembrou que “todos têm o dever até o dia 31 de dezembro, os eleitos e os não eleitos”, e complementou: “O dever tem que ser cumprido, é obrigação nossa”.

Nenhum comentário

.