“Vamos agir com determinação, fazer todo um esforço para tentar regularizar as contas”, diz Romero

Durante a coletiva desta terça-feira, o tucano Romero Rodrigues, prefeito eleito de Campina Grande, antecipou que serão necessários “cortes profundos” nas despesas de custeio e redução do número de comissionados. Segundo Romero, o enxugamento é necessário para viabilização do desenvolvimento do seu programa de governo. “Vamos ter que agir com determinação, equilíbrio, fazer todo um esforço para tentar regularizar as contas”, disse.

Citando dados de 2010, o novo prefeito argumentou que é preciso ajustar a previsão orçamentária, aproximando-a o máximo possível do valor executado. “O orçamento enviado à Câmara (em 2010) era de aproximadamente R$ 700 milhões, dos quais apenas em torno de R$ 470 milhões foram empenhados. Tem alguma coisa errada entre o que foi planejado e o que foi executado. Nenhum orçamento vai bater (totalmente), porque é uma previsão, mas vamos deixar uma margem menor de diferença”, ponderou.

Romero lembrou que administrará a cidade no primeiro ano do seu mandato com o orçamento aprovado na atual gestão. Mesmo assim, espera contar com o apoio dos vereadores para os ajustes considerados inadiáveis. “Vamos ver o que poderemos fazer, até porque há alguns programas sociais que vamos implantar, a exemplo do ‘Cheque Moradia’, que deu certo no Governo do Estado e vamos implementar em Campina. Tenho certeza que a Câmara não haverá de se negar a dar essa contribuição”, completou.

Nenhum comentário

.