Jornalista relata “momentos de horror” vividos por ele e a família após as eleições em Lagoa Seca

O acusado - Reprodução: Blog Márcio Rangel
O companheiro jornalista Marcio Rangel, com quem já trabalhei em duas empresas, relatou, em seu blog, a violência sofrida por ele e sua família na noite de ontem. Prestando solidariedade ao colega e, ao mesmo tempo, repudiando veementemente o ocorrido, reproduzo, a seguir, o relato que fez:

A Polícia Militar na cidade de Lagoa Seca, no Agreste do estado, prendeu em flagrante no início da noite desta segunda-feira, de 08 de outubro, o micro-empresário Marcos Aurélio Acióli Sampaio, de 37 anos. Ele, que é irmão de um Policial Militar, foi apontado como responsável pela promoção de verdadeiros momentos de horror na porta da residência da família do jornalista da Tv Correio/Record, Márcio Rangel Ferreira da Silva, que fica localizada no bairro Anacleto, também na cidade de Lagoa Seca.

Era por volta das 18h30, quando Marcos Aurélio, acompanhado de um grupo de mais de 300 pessoas se aglomeraram na frente da residência da vítima, onde também funciona um restaurante.

Motivados pelo resultado das eleições no município, eles não se contentaram em apenas comemorar e começaram a praticar atos de vandalismo.

Dentro da casa, o jornalista permaneceu acoado, enquanto do lado de fora, as pessoas gritavam palavrões, piadas e provocações.

Insatisfeito com o ato, Marcos Aurélio começou a chutar o veículo usado pelo jornalista, um gol, de cor preta e placas KKG-9212 de Campina Grande/PB, que estava estacionado na frente da casa da vítima.

A falta de sorte foi que o acusado acabou sendo flagrado por todos os moradores da localidade e no momento que chutou o carro, chegou a cair no chão e assim perdeu a sua carteira de cédulas com dinheiro e documentos. Querendo encontrar o objeto ele permaneceu no local, foi quando acabou sendo capturado em flagrante pela PM, que o conduziu para a Central de Polícia Civil de Campina Grande.

Lá, o acusado foi autuado em flagrante no artigo 163 do Código Penal, ou seja, pelo crime de Dano Qualificado, já que houve o agravante das ameaças.

Além do jornalista Márcio Rangel, Marcos Aurélio fez ameaças explicitas a sua irmã, a estudante de direito Renata Kelly Ferreira da Silva, de 22, que assistiu toda a cena de vandalismo do primeiro andar do prédio onde a família reside. A mãe do jornalista também foi agredida e teve parte do vestido rasgado pelo grupo.

O caso foi acompanhado pelo delegado Severino de Carvalho Lopes, que arbitrou a fiança de 2 salários mínimos para que Marcos Aurélio Acióli Sampaio fosse posto em liberdade. No entanto, ele responderá pelas práticas criminosas.

O veículo usado pelo jornalista foi encaminhado para o Instituto de Polícia Científica (IPC) onde passou por uma perícia.

A mãe e a irmã do jornalista Márcio Rangel também prestarão queixa contra o acusado pelos crimes de ameaças e difamação.

Nenhum comentário

.