Ele saiu do armário!!!

Todo mundo sabia, faz tempo, e uns já espalhavam aos quatro ventos. Só a família parecia – parecia! – não saber. Mas, o jeito dele não negava. Era só prestar atenção, e nem precisava ser muita, quando ele falava. E isso sem mencionar a cor da camisa. Logo “aquela” cor? Coincidência apenas? Cor é cor e não quer dizer nada?

Era só ver as companhias. Dize-me com quem andas, e te direi quem tu és. Não é mesmo? Mas, ele negava. Não foi o primeiro e nem, tampouco, será o último. Só que ele é diferente dos outros. Tanto quanto ele, ninguém nunca foi. 

Ao ser confrontado com o assunto, desconversava, apresentava argumentos confusos e desconexos. Se desdizia. Talvez até quisesse. Certamente queria. Mas não tinha como assumir publicamente, bradar aos quatro ventos. E, embora admitir não fosse preciso, afinal, estava na cara, ele realmente não estava pronto para admitir.

Agora está! Ainda timidamente, cheio de ressalvas da boca pra fora. Porém, seja como for, resolveu sair do armário. Anunciou publicamente, embora com palavras tanto quanto indiretas. Seja como for, libertou-se. Não vai precisar mais se esconder, disfarçar, criar justificativas.

Está livre. Livre! Ele anunciou!

PS: Não se engane: essa crônica é sobre um anúncio político-partidário. E baseada em fatos reais.

Nenhum comentário

.