Major Fábio recebe Cidadania Campinense

Atendendo a uma propositura do vereador João Dantas (PSD), a Câmara Municipal de Campina Grande concedeu o título de Cidadania Campinense ao suplente de deputado federal Major Fábio, do Democratas, que, atualmente, exerce o mandato por conta do afastamento do titular, Romero Rodrigues (PSDB), que disputa a prefeitura da Rainha da Borborema. A honraria foi entregue durante solenidade na noite de ontem.

Na justificativa da propositura, o parlamentar afirmou que o deputado demista possui uma trajetória pública marcante em defesa da classe dos policiais militares, lutando por melhorias salariais e melhores condições de trabalho para a categoria.

“O major Fábio é oficial da policia Militar da Paraíba desde 1990. Na Câmara Federal, desenvolve um belíssimo trabalho em prol do Projeto de Emenda Constitucional Nº 300, da qual ele mesmo é o relator, matéria que atualmente está em tramitação”, disse João Dantas. Na semana passada, em um pronunciamento na tribuna da Câmara Federal, o Major Fábio teceu duras críticas à política do Governo Federal de combate às drogas e acusou Dilma Rousseff de não cumprir a promessa de campanha que fez aos policiais brasileiros.

“Dilma precisa fazer uma revolução no Brasil. Nós estamos com as nossas fronteiras abertas para a cocaína, para o crack, para as armas. Enquanto isso, vemos uma presidenta que prometeu a criação do piso salarial nacional de policiais e bombeiros militares. Prometeu”, disse o deputado.

Em seguida, o parlamentar em exercício enrijeceu ainda mais a crítica à petista. “A presidenta Dilma prometeu em seu programa de governo. Está lá, no programa de governo, a criação do piso e do fundo nacional de segurança pública. Para ganhar a eleição, colocou tudo bem bonitinho no seu programa de governo, reconheceu firma e entregou no Tribunal Superior Eleitoral. Fez uma coisa linda! Os policiais votaram na presidenta Dilma. Mas, cadê? Não saiu do papel”, bradou, na tribuna da Câmara Federal.

No primeiro semestre deste ano, a Câmara Municipal de Campina Grande aprovou a concessão de nada menos que 25 títulos de cidadania campinense, números que equivalem a 20% de toda a produção legislativa (em termos de leis aprovadas) no período. Somando-se com outras propostas de impacto inexpressivo, como medalhas de mérito e nomenclatura de logradouros, os chamados projetos irrelevantes ocuparam um terço de toda a produção legislativa na Casa de Félix Araújo.

Nenhum comentário

.