Aécio Neves não veio ao Nordeste fazer campanha para aliados, mas a própria pré-campanha para 2014


O senador mineiro Aécio Neves, do PSDB, é atualmente a maior esperança dos tucanos para a retomada da Presidência da República, em 2014. José Serra, já duas vezes derrotado, capenga nas pesquisas em São Paulo, correndo o risco de sequer ir ao segundo turno. E Geraldo Alckmin, governador paulista, embora mal disfarce o desejo de concorrer de novo, não anima os companheiros de ninho.

A verdade é que com a morte de Mário Covas, em 2001, o PSDB ficou sem um nome forte o suficiente para carregar o bastão na era pós-Fernando Henrique Cardoso. E, agora, boa parte da sigla deposita suas expectativas em Aécio, neto de Tancredo Neves, o primeiro presidente civil eleito após o Regime de 1964 – e que morreu antes de assumir.

Ocorre que, cá por estas bandas, neste Nordeste em que o lulismo virou quase uma religião para boa parte da massa, o senador mineiro é um grande desconhecido. Sendo assim, Aécio aproveitou a reta final do primeiro turno da campanha para fazer um périplo pela região e, no embalo de candidatos a prefeito, começar a conhecer e se dar a conhecer ao eleitorado nordestino.

Daqui a dois anos, se os tucanos insistentes de São Paulo deixarem, é provável que ele volte.

Nenhum comentário

.