Por conta da campanha, rádio e TV Câmara online são retiradas do ar na CMCG

O presidente da Câmara Municipal de Campina Grande, vereador Nelson Gomes Filho, resolveu retirar do ar, durante o período de campanha eleitoral, a Rádio Câmara e a TV Câmara, ambas transmitidas pela internet, através do portal do legislativo campinense. De acordo com a presidência, a intenção é evitar qualquer tipo de problema que resulte em sanções por parte da Justiça Eleitoral.

Na volta dos trabalhos no segundo semestre, Nelson, reunido com os demais parlamentares, apelou para que todos evitassem usar o plenário da Casa de Félix Araújo e, sobretudo, a tribuna, para qualquer ação ou gesto que possa ser interpretado como eleitoreiro. Ainda assim, precavido, após uma conversa informal com alguns juízes eleitorais, o presidente resolveu suspender a transmissão até o fim da campanha.

Off-line, os vereadores aprovaram nesta terça-feira o Projeto de Lei Número 122/2011, propositura apresentada pelo suplente Orlandino Farias durante o período em que ocupou o mandato, no ano passado. O projeto trata do reconhecimento de diplomas de pós-graduação em cursos realizados em Portugal e nos países do Mercosul que possuem acordo com o Ministério da Educação. A matéria foi aprovada por unanimidade tanto na primeira quanto na segunda votação, atendendo a requerimento do vereador Fernando Carvalho.

Na semana passada, a Comissão de Educação do Poder Legislativo, que é presidida por Carvalho, realizou uma audiência pública com a participação de professores da rede municipal de ensino, alunos do curso de pós graduação e profissionais interessados na aprovação da matéria.

Em seu projeto, Orlandino lembrou que já existe o acordo nacional que reconhece a graduação feita por brasileiros em países do Mercosul e Portugal. Após a reunião da semana passada, o vereador Fernando Carvalho protocolou na secretaria da Câmara um requerimento de urgência, pedindo que a matéria fosse apreciada na sessão desta semana, o que acabou ocorrendo. O projeto, agora, segue para o Poder Executivo.

Nenhum comentário

.