Ministro que absolveu mensaleiros manteve prisões por furto de R$ 13 e pesca ilegal de 12 camarões

Reproduzimos mais cedo, aqui no blog, artigo do jornalista do UOL Leonardo Sakamoto mostrando que o ministro do STF Marco Aurélio de Mello, que mandou soltar um dos acusados de mandar matar a missionária norte-americana Dorothy Stang, decidiu manter na cadeia uma mulher acusada de roubar chicletes.

Pois bem, na coluna da jornalista Mônica Bérgamo, da Folha, encontramos uma comparação a respeito de decisões de outro ministro, Ricardo Lewandowski, que absolveu alguns acusados no esquema do Mensalão, a exemplo do ex-presidente da Câmara, João Paulo Cunha (PT).

Em sua coluna, Mônica Bérgamo mostra que, em casos de menor expressão, Lewandowski foi bem mais rigoroso. Veja o que escreveu a jornalista:

LINHA DURA

E Lewandowski tem sido duro em outros julgamentos. Anteontem, numa das turmas do STF, negou habeas corpus para um carcereiro acusado de peculato em Tatuí, em SP. Ele foi condenado por furtar o farol de milha de uma moto. O valor, apurado em perícia: R$ 13.

LINHA DURA 2

Lewandowski, também contra um pescador que fisgou ilegalmente 12 camarões em Santa Catarina, foi voto vencido: Gilmar Mendes e Cesar Peluzo, da mesma turma, defenderam o trancamento das ações. Numa terceira, sobre o furto de uma bermuda, acompanharam Lewandowski: o réu tinha antecedentes criminais.

Para ver a coluna de Mônica Bérgamo, clique AQUI

Nenhum comentário

.