Ex-vereador comunista lidera ranking de doações de campanha em Campina Grande

A primeira prestação das contas de campanha dos candidatos, divulgada esta semana pelo Tribunal Superior Eleitoral, revelou que, entre os postulantes à Câmara Municipal de Campina Grande, o maior arrecadador de doações para custeio de campanha não é nenhum dos candidatos considerados medalhões. Na ponta do ranking de arrecadação, aparece, disparado, o ex-vereador Ivam Freire, do PC do B. De acordo com os dados disponibilizados pelo TSE, em um mês, Ivam recebeu doações que totalizaram quase R$ 41 mil.

Desse total, o candidato gastou R$ 7,2 mil, restando, para o decorrer da campanha, um saldo de quase R$ 34 mil. Ivam Freire foi eleito vereador em Campina Grande nas eleições de 1988. Depois, não teve sucesso em 1992 e 1996. O ex-vereador mudou-se para o Pará, mas manteve vínculos familiares, políticos e empresariais na cidade.

O segundo maior arrecadador foi o estudante Bruno Cunha Lima (PSDB), com uma receita de R$ 31,4 mil. Ao contrário do primeiro colocado, no entanto, Bruno não foi tão econômico com as despesas de campanha no primeiro mês, que totalizaram R$ 21,5 mil, o que ainda deixa um saldo de quase R$ 10 mil. Na terceira colocação aparece o advogado Murilo Galdino (PSB), com receitas que totalizaram quase R$ 28 mil, e despesas da ordem de R$ 23,4 mil.

O quarto maior arrecadador é o professor Flávio Romero (PMDB), ex-secretário de Educação do Município. Flávio somou doações no total de R$ 25 mil, mas foi bastante econômico no primeiro mês, gastando somente R$ 1,5 mil. A lista das cinco maiores arrecadações se completa com o empresário Inácio Nunes de Sousa Filho, o Jô Veículos, que somou receita da ordem de R$ 20,7 mil e despesas de R$ 2,4 mil.

Entre os vereadores que disputam a reeleição na cidade, Tovar Correia Lima (PSDB), amealhou a maior arrecadação, R$ 20,4 mil. As despesas do tucano totalizaram quase R$ 16 mil. Em seguida aparecem os peemedebistas Antônio Pereira (receitas: R$ 16,5 mil; despesas R$ 15,6 mil) e Olímpio Oliveira (receita: R$ 16 mil; despesas R$ 4,3 mil). Ivonete Ludgério (PSB) arrecadou R$ 11,4 mil e gastou R$ 10 mil; Metuselá Agra (PMDB) recolheu R$ 10 mil e gastou R$ 6 mil; Jóia Germano (PRP) somou R$ 8,6 mil e despendeu R$ 7 mil; Nelson Gomes Filho (PRP) totalizou R$ 7,4 mil em receitas e R$ 4 mil em despesas; Cassiano Pascoal (PMDB) arrecadou R$ 5,8 mil e gastou R$ 5,5 mil.

João Dantas (PSD), Alcides Cavalcanti (PRTB) e Pimentel Filho (PMDB) totalizaram R$ 5 mil, cada um, em doações. Mas, enquanto João despendeu apenas R$ 500, Alcides e Pimentel totalizaram gastos praticamente equivalentes ao total arrecadado.

Campanhas franciscanas – O vereador Inácio Falcão (PSDB), mais votado em 2008, arrecadou parcos R$ 900 no primeiro mês de campanha. As despesas do tucano totalizaram R$ 855. No entanto, nesse primeiro mês, mais franciscanas ainda foram as campanhas dos vereadores Marcos Raia (PMDB), Laelson Patrício (PT) e Rodolfo Rodrigues (PR). Os três parlamentares declararam à Justiça Eleitoral não terem arrecadado ou gasto um único centavo em julho.

Nenhum comentário

.