Nelson multiplicou patrimônio por oito e três vereadores “empobreceram”

O patrimônio do vereador Nelson Gomes Filho (PRP), presidente da Câmara Municipal de Campina Grande, cresceu 721% nos últimos quatro anos, fazendo do parlamentar o mais abastado da Casa de Félix Araújo. De acordo com as informações disponíveis na base de dados do Tribunal Superior Eleitoral, em 2008, quando se elegeu vereador, Nelson declarou bens que totalizavam R$ 79.337,05.

À época, o então candidato informou possuir como bem mais valioso uma camioneta com valor estimado em R$ 58 mil, além do consórcio de uma motocicleta no valor de R$ 9 mil, uma aplicação bancária de R$ 12 mil e um saldo de poupança de apenas R$ 1,28. Na declaração deste ano, o vereador informou possuir bens que totalizam R$ 651.788,24.

Agora, o espólio do presidente do legislativo municipal conta com vários imóveis e três veículos automotores que, juntos, ultrapassam a soma dos R$ 288 mil. Nelson não se esquiva de comentar o assunto e diz que o crescimento do seu patrimônio é fruto de muito trabalho. “Antes de chegar à Câmara eu já tinha atuações no ramo dos negócios. Graças a Deus eu não vivo só da Câmara Municipal. Antes de ser vereador, eu já era um comerciante, um lutador. Vim de Catolé do Rocha para cá no sofrimento, aqui cresci trabalhando, comprei terrenos, abri lojas e a vida continua”, disse o vereador.

Na ponta de baixo da tabela, dois vereadores declararam à Justiça Eleitoral não possuírem quaisquer bens. Apesar de ser conhecido como proprietário de uma empresa de segurança na cidade, Alcides Cavalcanti (PRTB), assim como fez em 2008, voltou a informar que não possui bens. Já Marcos Raia (PMDB) teria “perdido” todo seu patrimônio, já que em 2008 ele havia declarado dois imóveis no valor estimado de R$ 258 mil e, este ano, informou não ter nada a declarar.

Além de Raia, quem também teve os bens reduzidos desde a última eleição municipal foi Ivonete Ludgério (PSB), líder da bancada de oposição. Mas, ao contrário do peemedebista, a queda no patrimônio da vereadora foi pequena. Em 2008, ela informou possuir R$ 304.460,99 em bens, enquanto este ano a declaração totalizou R$ 302.761,46, queda de quase R$ 1.700.

Outro caso curioso é o do tucano Tovar Correia Lima. Em 2008 o vereador informou um patrimônio de pouco mais de R$ 24 mil e, este ano, de R$ 54 mil. Só que, nesse meio tempo, em 2010, quando se inscreveu para disputar uma das vagas na Assembleia Legislativa (acabaria desistindo), Tovar declarou bens que somavam R$ 125 mil. Ou seja, em dois anos, entre 2008 e 2010, ele multiplicou o pequeno patrimônio por cinco e, passados mais dois anos, reduziu este patrimônio em 56%.

Nenhum comentário

.