Marcos Marinho revela quebra de acordo e manda recado para cúpula do PMN

Marinho na tribuna da CMCG - Imagem: Twitter
O jornalista e ex-vereador Marcos Marinho usou o microblog Twitter para mandar um recado para a cúpula da sua atual legenda, o PMN, que no último dia 10 publicou nota avisando que não vai acatar rebeliões contra a decisão da direção do partido de se aliar ao PMDB do prefeito Veneziano Vital do Rêgo e da pré-candidata Tatiana Medeiros.

O problema de Marinho e de outros pré-candidatos do PMN a vereador não é a aliança majoritária, mas a proporcional. E as razões são óbvias. A sigla formou uma boa nominata, com tônus para, sozinha, conduzir pelo menos um representante ao legislativo municipal, mas os planos e sonhos de todos os postulantes ameaçam ir por água abaixo caso haja uma composição também na proporcional.

No Twitter, o jornalista revelou que a nominata foi formada com a promessa de que o partido não entraria em composições. “O PMN em CG tem um excelente grupo de pré-candidatos a vereador, trabalho arduo dos amigos Pastor Breno, Saulo Germano e Galego do Leite. Esse trabalho, que reconheço e exalto, teve um único foco: o grupo disputar sem se aliar a nenhuma outra sigla. Fora disso, estou fora”.

A seguir, bem ao seu estilo arguto, Marinho mandou um recado. “Meu pavio curtíssimo reprova decisão tomada de forma colegiada que horas depois é modificada monocraticamente por dirigente. Como não tenho mais idade para receber esse tipo de insulto, o meu brado neste primeiro momento é de revolta. Outros virão”.

Nenhum comentário

.