Eleições UEPB: Oposição poderá pedir anulação da consulta prévia. Mais votado, Rangel Júnior fará coletiva

Derrotados nas eleições para a reitoria da Universidade Estadual da Paraíba, os professores José Cristóvão de Andrade (chapa 2) e Mônica Maria (chapa 1) fizeram duras críticas à condução do processo eleitoral, durante fala à imprensa na manhã de hoje no auditório da OAB.

Eles repetiram as queixas a respeito do período de campanha, considerado curto demais, do pequeno número de debates entre os reitoráveis (houve apenas um, já que o primeiro foi cancelado), garantiram que houve controle rígido do processo pela chapa de situação e ainda fizeram acusações contra a reitoria.

Andrade criticou “a contratação de 160 professores a menos de um mês das eleições”, o que, no entender do ex-candidato, implica numa “atitude de intervenção” na consulta. Para Mônica Maria, o “processo contribuiu para a permanência de uma administração que historicamente trabalhou de maneira profundamente centralizadora e autoritária”.

Os reitoráveis confirmaram que poderão recorrer à Justiça para pedir a anulação da consulta prévia, assegurando dispor de evidências que comprovariam que o processo foi viciado.

Café da manhã

Já o professor Rangel Júnior, mais votado na eleição da UEPB, agendou para a manhã deste sábado um café da manhã com coletiva de imprensa em um dos restaurantes da cidade. A Comissão Eleitoral remeterá ao Consuni a lista com os três candidatos mais votados, Rangel, Andrade e Eliana Maia.

O Conselho, por sua vez, indicará uma lista tríplice ao governador, a quem cabe homologar um dos nomes. A lista do Consuni pode não acompanhar a relação encaminhada pela Comissão Eleitoral.

Nenhum comentário

.