Comissão eleitoral notifica chapa 5 por presença de reitorável em local de debate

A Comissão Eleitoral que dirige o processo de consulta prévia para escolha do sucessor (ou sucessora) da reitora Marlene Alves de Souza Luna notificou a chapa 5, que é encabeçada pelo professor Rangel Júnior, por conta de um suposto descumprimento do acordo que adiou o debate que seria realizado na última sexta-feira.

“Todas as chapas tomaram ciência do cancelamento do debate, além de consensualmente concordarem com seu adiamento. A presença da chapa 5 no local e horário do evento, então cancelado, representou desobediência nos termos acordados no dia anterior”, afirma o texto da notificação, assinada pelo presidente da Comissão Eleitoral, José Luciano Albino Barbosa.

O documento é encerrado com uma advertência. “O ato ora observado enquadra-se como infringência e a Chapa 5 passa a ser notificada pela Comissão Eleitoral para que atente às regras do processo e procure usar de bom senso e zelo quanto à obediência às regras definidas no pleito”.

Ainda na sexta-feira, o reitorável Rangel Júnior emitiu uma nota, justificando sua presença no local do debate. Ele alega que foi ao local após diversos telefonemas de estudantes, técnicos e professores que não sabiam do cancelamento do evento. “Diante de tantos contatos e estando próximo ao local, o candidato então dirigiu-se à quadra, com o objetivo de esclarecer aqueles que haviam entrado em contato com ele sobre o que estava ocorrendo”, diz a nota.

E acrescenta: “O candidato passou a se dirigir a todos os presentes, para esclarecê-los do que havia ocorrido, utilizando o sistema de som disponível no local, passando a ser interrompido por militantes de outras chapas e facultando-lhes prontamente a palavra. Para evitar embates ainda mais acalorados e diante de agressões verbais enunciadas por alguns defensores de outras candidaturas, o candidato retirou-se do local”.

Para ler a notificação da Comissão Eleitoral completa clique AQUI.
Para ler a nota de Rangel Júnior na íntegra, clique AQUI.

2 comentários

Anônimo disse...

lenildo tá muito parcial e isso é um fator q acaba com qualquer jornalista. Rapaz, o certo é q houve a advertencia por conta da infração. não precisa ficar fazendo a defesa de quem tá errado.

Lenildo Ferreira disse...

Amigo anônimo:

1. O fato de sermos jornalistas não nos tira o direito à opinião. Pelo contrário. Nosso dever é unica e tão somente dar espaço para todos os lados, e isso temos feito, como pode ser visto;

2. Um dos candidatos já tentou, inclusive, nos intimidar e, ainda assim, temos publicado material dele;

3. A informação sobre a decisão da Comissão foi publicada. Apresentar o argumento do outro lado é um princípio elementar - desde que o outro lado fale, ao contrário de alguns candidatos.

Lenildo

.