Após repercussão de declarações causarem mal-estar na militância tucana, Romero joga pá de terra nas esperanças de peemedebistas

O deputado federal Romero Rodrigues tratou de desfazer um aparente mal entendido em torno de declarações recentes suas em uma emissora de rádio. Depois da entrevista, setores da mídia e assessores ligados ao PMDB municipal, inclusive vereadores, se empenharam para dar eco à versão de que o prefeitável tucano estaria acenando para o partido da prefeitável Tatiana Medeiros.

Na verdade, essa tentativa de dar um colorido extravagante às palavras de Romero foi mais um gesto do PMDB para tentar mostrar que a candidatura da legenda tem tônus e é atraente a eventuais aliados. Também não deixa de ser uma manifestação clara da pressão interna no partido, disposto até a se insinuar para os principais antagonistas.

Mesmo inverossímil, a repercussão das declarações de Romero, interpretadas pela ação midiática massiva do PMDB, foi indigesta para inúmeros militantes tucanos, que observam com desconfiança e receio as especulações sobre uma eventual reaproximação entre as duas legendas.

E, em plena fase de pré-campanha, não é hora de permitir que o moral da “tropa” seja abalado. Romero Rodrigues percebeu e, hoje, foi enfático: quando se apresentava disposto para o diálogo com o prefeito Veneziano Vital do Rêgo, o deputado se referia ao relacionamento administrativo, ele na condição de deputado de Campina e Veneziano de prefeito. E, mais, sem chances de composições eleitorais.

Foi uma pá de terra nas ilações de quem busca um alento para uma campanha cada vez mais difícil.

Nenhum comentário

.