Efeito outubro: Jogando para o “técnico”, Antônio Pereira assume postura de zagueirão, mas tropeça nas próprias pernas

Eleito pelo PSB, o vereador Antônio Pereira, quando a legenda se afastou do PMDB e lançou candidato próprio a governador, preferiu ficar ao lado do prefeito Veneziano Vital do Rêgo. Fiel à composição que o elegeu, Pereira, no ano passado, trocou o PSB pelo PMDB.

Figurando entre os mais atuantes na Casa de Félix Araújo, o novo peemedebista, apesar da fidelidade inquestionável ao Palácio do Bispo, nunca chegou a ser um submisso, daqueles que só abrem a boca para defender os “chefes”.

No entanto, diante das perspectivas nebulosas para as eleições proporcionais de outubro, e ainda mais para quem chegou à Câmara com a quarta menor votação entre os eleitos e agora figura numa legenda com concorrência pesada, o vereador parece ter adotado uma nova estratégia: faz uma ou outra firula para agradar o torcedor, mas joga mesmo para satisfazer o “técnico”.

Assim, Pereira assumiu uma postura de beque, zagueirão botinador, tornando-se um dos primeiros a levantar a voz em defesa da gestão municipal. Só que, meio sem jeito e jogando com um olho no “técnico” e outro na torcida, volta e meia se enrola com as próprias pernas.

Num desses episódios, durante uma audiência em que o Sintab acusou a prefeitura de estar tentando asfixiar financeiramente a instituição, Antônio Pereira fez um discurso carregado dos já típicos contorcionismos verbais, defendendo os servidores (lance para a torcida) e, ao mesmo tempo, mostrando para o “técnico” que não apoiava o sindicato.

Noutro, irritado com as críticas vorazes de João Dantas (PSD) ao prefeito, disparou contra gestores passados, especificamente Enivaldo Ribeiro e Ronaldo Cunha Lima, e fez uma forte e precipitada acusação contra o ex-vereador Marinaldo Cardoso, que, segundo ele, teria vendido terrenos de invasão.

Por fim, na sessão de ontem, após o vereador Tovar Correia Lima revelar a reclamação da Casa da Criança Doutor João Moura, que há quatro meses não recebe a subvenção devida pela prefeitura, o peemedebista apressou-se em tomar a palavra.

“Enviei uma solicitação ao prefeito para providenciar solução para a Casa da Criança e o Redentorista, e acabo de receber a mensagem do prefeito: ‘Quando chegar aí, providenciarei, amigo’. Então, você avise à pessoa que o vereador Antônio Pereira solicitou e o prefeito mandou mensagem dizendo que vai providenciar”, respondeu a Tovar.

Simples assim! Como se um atraso de quatro meses nos repasses de recursos a uma entidade que atende crianças carentes fosse resolvido de maneira tão simples, numa troca de SMS, merecendo o vereador, por essa solução tão ágil, ser ovacionado pela torcida.

Nenhum comentário

.