Decisão do PT prova que desinformados são "outros"

Numa postagem publicada no último dia 17, o blog informou: "PT não terá candidato próprio em Campina Grande e decisão domingo será sobre aliança, se com PP ou PMDB". A publicação gerou críticas de alguns petistas, que chegaram a nos aconselhar a apurar melhor as informações e afirmaram que estaríamos sendo usados por alguém que nos passava informações equivocadas.

Pois bem. No domingo, após os professores Pedro Lúcio e Márcio Caniello retirarem suas candidaturas, a absoluta maioria dos delegados petistas decidiu que o partido apoiará a candidatura da deputada e prefeitável Daniella Ribeiro (PP). Tentando minorar o prejuízo, o presidente do diretório municipal, Alexandre Almeida, que é umbilicalmente ligado aos irmãos Vital do Rêgo - sendo, inclusive, funcionário de Vitalzinho no Senado - procurou manter sua candidatura, mas recebeu apenas 16 votos, num universo de quase 200 delegados.

A verdade, conforme havíamos antecipado, é que nem o bloco de Alexandre nem o bloco contrário pretendiam avançar para a candidatura própria. Alexandre queria o PT na chapa do PMDB. O grupo ligado a Pedro Lúcio, por sua vez, queria a aliança com o PP. E, durante a semana, esse grupo conseguiu avançar, assegurando o apoio de lideranças como Peron Japiassu.

Prevendo o resultado, Alexandre Almeida registrou sua candidatura, com o fim de pelo menos tentar evitar que o partido migrasse para Daniella. Não adiantou e, agora, o dirigente quer derrubar a decisão dos delegados, recorrendo às instâncias superiores. Essa briga vai longe. Na mesma postagem do dia 17, comentamos: "Caberá aos delegados eleitos no domingo passado a decisão, que, seja qual for, não será acatada pelo grupo que vier a ser derrotado".

Se bem que, em se tratando do PT, não seria preciso ser nenhum gênio super bem informado para prever esse desfecho.

Nenhum comentário

.