Comandante deixa Guarda Municipal. Segundo vereador, coronel teria cansado de esperar

Márcio (esquerda) "pediu pra sair" Imagem: blog da Guarda
A Guarda Municipal sequer entrou em atividade e já sofreu a primeira grande baixa. O coronel Márcio Saraiva, que foi nomeado pela Prefeitura para comandar a corporação, pediu para sair. A informação foi confirmada hoje pelo próprio Márcio ao repórter Philipy Costa, da sucursal de Campina Grande do jornal A União.

O coronel não quis revelar ao repórter os motivos da sua saída, mas o vereador Tovar Correia Lima (PSDB), na sessão da última quarta-feira, afirmou que a razão teria sido a demora da Prefeitura em colocar a guarda em atividade.

“O coronel Márcio pediu demissão. Perguntei a ele o que foi que houve. Ele me respondeu o seguinte: ‘Há um ano e alguns meses eu sou administrador da Guarda Municipal e apenas recebo meu salário. Eu não tenho o que fazer, não tenho local para trabalhar, não tenho autonomia para absolutamente nada. E eu não estou precisando do salário, estou precisando trabalhar’, contou o parlamentar.

O Projeto de Lei Complementar Nº 007/2009, que criou a Guarda Municipal de Campina Grande, foi aprovado pela Câmara Municipal há quase dois anos, especificamente no dia 10 de junho de 2010.

No mês passado, Márcio Saraiva havia declarado à rádio Campina FM que não havia condições estruturais para que a força municipal entrasse em atividade, porque faltaria até fardamento, além das armas. No dia 24 de março, uma postagem no blog da Guarda Municipal (a penúltima atualização, por sinal), apresentava perspectivas alvissareiras para a corporação. Aparentemente, as expectativas não se confirmaram. A PMCG ainda não se manifestou sobre o assunto.

Nenhum comentário

.