Após ouvir "não" de Vitalzinho e Veneziano a sua candidatura, Alexandre Almeida teria pensado em abandonar vida pública

Segundo informações repassadas por uma fonte ao blog, na semana que antecedeu ao rompimento do PT com o PMDB e à adesão do partido da estrela ao PP, o prefeito Veneziano, que recebera a garantia de Alexandre Almeida de que tudo estava “sob controle”, havia sido alertado por diversos auxiliares sobre a possibilidade de debandada petista.

Um dos atalaias foi o coordenador de Comunicação. “Carlos Magno, em conversa na Secretaria de Planejamento com o prefeito, despertou: ‘Prefeito, zere o processo de negociação com o PT. Eles não virão como das outras vezes’”, narra nosso contato, que ainda revelou o teor de uma conversa entre Veneziano, Vitalzinho e Alexandre.

Na conversa, que teria ocorrido logo após Alexandre Almeida receber o título de cidadania campinense (a solenidade aconteceu no dia 13 de março), o prefeito e o senador afirmaram ao dirigente petista que “sua candidatura prejudicaria a candidata Tatiana Medeiros”.

E acrescenta: “Extremamente ressentido, mesmo aliado e amigo pessoal (de Vital e Veneziano), Alexandre viajou sem avisar a ninguém para descansar em Porto Alegre. Disse que iria refletir, inclusive desabafou que provavelmente abandonaria a vida política e iria voltar a cuidar de seus negócios de forma mais próxima em Brasília e Minas Gerais, onde é sócio de empreendimentos imobiliários”.

Prossegue nossa fonte: “(Alexandre) ficou isolado por quase dez dias, em pleno processo de discussão da formação das chapas do encontro de delegados. Nesse momento, a direção viu como frágil a desistência de sua candidatura e ‘estartou’ (iniciou) o movimento de diálogo com o PP”.

Por fim, nosso contato apresenta detalhes a respeito das tentativas implementadas pelo Palácio do Bispo para tentar reverter a situação. Contamos na próxima postagem.

Nenhum comentário

.