Denúncia sobre suposta tentativa da PMCG de "asfixiar" o Sintab foi discutida na Câmara

Imagem: Gustavo Almeida / A União
Atendendo a propositura do vereador João Dantas, a Câmara Municipal realizou, ontem pela manhã, sessão especial que discutiu uma suposta tentativa de intervenção financeira da Prefeitura de Campina Grande no Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste da Borborema (Sintab). Segundo o presidente da entidade, Napoleão Maracajá, o prefeito Veneziano Vital do Rêgo passou a exigir cópia das fichas de todos os sócios, o que foi interpretado como “uma tentativa de quebra da autonomia sindical, que, se concretizada, acabará prejudicando as finanças do sindicato que não terá recursos para pagar água, luz, salários dos funcionários e outros compromissos”.

O problema, de acordo com o Sintab, é que a maioria das filiações à entidade é bastante antiga, com até vinte anos, o que inviabilizaria a juntada de todos estes documentos no prazo exigido pela prefeitura – até o mês que vem. De acordo com Napoleão, a decisão do executivo municipal, se mantida, implicaria no fechamento do Sintab. A sessão foi acompanhada por centenas de servidores municipais que lotaram as galerias da Câmara. “Esse é um governo que o que diz que não pode, na verdade pode, mas o que diz que pode, não pode, que é fechar o Sintab, porque esses homens e mulheres que aqui estão não vão deixar”, afirmou Napoleão, apontando para os servidores na galeria.

Ainda conforme o sindicalista, desde novembro a prefeitura havia feito uma alteração que já vinha produzindo uma “asfixia financeira” no Sintab. Ele explica que, ao invés de descontar a contribuição sindical do salário bruto, a Secretaria de Administração estava descontando sobre o vencimento base. “Mas, não conformado com isso, o prefeito mandou o documento, com base na CLT, o que não vale para um sindicato, querendo uma nova autorização individual de cada servidor. Qual o objetivo do governo nessa história toda? É cassar a representação dos trabalhadores”, acusou o presidente do Sintab.

O deputado federal Romero Rodrigues (PSDB), que participou da sessão, lamentou a decisão da prefeitura. “O Sintab merece respeito, porque, se não, vamos voltar ao passado, quando se tinha um sindicato atrelado à gestão municipal e a diretoria do sindicato gozava de privilégios na prefeitura. Nunca se viu, nessa época, qualquer tipo de pressão sobre o sindicato”, declarou, na tribuna.

Da base aliada do prefeito, somente os vereadores Pimentel Filho, Olimpio Oliveira e Antônio Pereira, todos do PMDB, participaram da sessão. Os três mostraram-se solidários com o Sintab, e Pimentel afirmou que, em conversa com o prefeito, havia recebido o compromisso de recuo na decisão de exigir a renovação das autorizações individuais dos sindicalizados. “Conversei com Veneziano na semana passada e, há pouco, o secretário de Administração, Constatino Soares, me telefonou dizendo que o desconto será normalizado. Então, creio que esse problema está resolvido”, assegurou.

O vereador Fernando Carvalho (PT do B), que se apresenta como independente, contestou a fala de Pimentel, e disse que o problema só poderá ser considerado resolvido após o prefeito cumprir o compromisso assumido com o parlamentar correligionário.

Nenhum comentário

.