Aterro sanitário de Puxinanã acaba de ser lacrado pela justiça e lixão de Campina poderá ser reaberto

Aterro lacrado. Imagem Twitter de Rodrigo Celino
O blog foi o primeiro a informar, ainda na noite de ontem, que o aterro sanitário da Construtora Planície, localizado no município de Puxinanã e que desde janeiro está recebendo os resíduos produzidos em Campina Grande, poderia ser lacrado nesta terça-feira, o que acabou se confirmando.

Há poucos minutos, o advogado Rodrigo Celino, do Escritório de Advocacia Félix Araújo, confirmou, via Twitter, o lacre. O escritório, representando a Associação de Proteção Ambiental (Apam), ingressou com o pedido de liminar, concedida na semana passada pela juíza titular da comarca de Pocinhos, Adriana Maranhão, e o prazo estipulado pela magistrada na sentença acabou ontem.

Com a interdição do aterro de Puxinanã, fica no ar a dúvida sobre, caso a liminar seja mantida, para onde vai o lixo coletado em Campina Grande a partir desta quarta-feira. Até agora, a Prefeitura Municipal não havia apresentado nenhum plano de ação, mas, o mais provável é que os resíduos voltem a ser descartados no lixão da Alça Sudoeste.

Até a noite de ontem, o sistema online do Tribunal de Justiça apresentava a desembargadora Maria de Fátima Bezerra Cavalcanti, esposa do ex-governador José Maranhão, como relatora do agravo interposto pela Construtora Planície contra a liminar. Mas, desde a manhã de hoje, o desembargador José Ricardo Porto aparece como relator do recurso.

Nenhum comentário

.