ROMERO REBATE CRÍTICAS

O deputado federal Romero Rodrigues (PSDB), em contato com o Diário Político na tarde de ontem, comentou a saraivada de críticas que tem recebido do prefeito Veneziano Vital do Rêgo, do senador Vitalzinho e de alguns auxiliares da prefeitura, por conta das suas objeções à transferência do lixo da cidade para o aterro sanitário de Puxinanã. O parlamentar condenou a virulência de algumas críticas, caso do secretário Alex Azevedo (Obras), que, numa emissora de rádio, o acusou de “falar abobrinha” e de não ter legitimidade para questionar a ação da prefeitura. “Respondo com serenidade à truculência de alguém que se investe no cargo de secretário”, disse.

Romero complementou. “A minha representatividade vem do povo. Nas eleições de 2010, a população de Campina me fez o deputado federal mais votado da cidade, e isso sem usar máquina administrativa, com votos livres. E também fui o mais votado em Puxinanã, sendo apoiado pela oposição, sem prevalência do valor econômico. Tenho responsabilidade com o meio ambiente, que está sendo afetado em Puxinanã. Está patente que esse processo já se iniciou errado, cheio de vícios, inclusive com um projeto que foi um plágio, um clone do de João Pessoa, copiando até questões de geologia, que evidentemente não se pode plagiar. Pouco me importa o que acha o secretário”.

Segundo o tucano, a decisão da prefeitura de aterrar o lixo sem permitir o aproveitamento dos recicláveis, além de cortar a renda de quem trabalhava com esse material, encarece substancialmente o processo. O raciocínio é que resíduos reaproveitados, além de mover a economia, não seriam aterrados, reduzindo o volume despachado para Puxinanã e, conseqüentemente, o montante a ser pago. “Se fosse para ser feito esse consórcio, só o rejeito deveria ser aterrado, enquanto a parte que pode ser aproveitada tinha que ser reciclada em Campina, gerando emprego, gerando renda. Mas, como isso não é feito, a conta vai pesar no bolso do contribuinte”, ponderou Romero.

Apuração

Além de pedir à presidência do TCE que apure supostas irregularidades no convênio para transferência do lixo de CG para o Puxinanã, Romero Rodrigues também se reuniu com o promotor Bertrand Asfora, coordenador das curadorias do município.

Vai render

Como resultado, Bertrand Asfora resolveu encaminhar ao procurador geral de Justiça do Estado, Oswaldo Trigueiro do Valle Filho, à promotoria da Comarca de Pocinhos, à Curadoria do Meio Ambiente e à Comissão de Combate à Improbidade Administrativa as denúncias e questionamentos apresentados pelo deputado tucano Romero Rodrigues.

Ser ou não ser

Tentando viabilizar sua candidatura a prefeito, o vereador Fernando Carvalho (PT do B) anda ausente das querelas políticas, aproveitando as areias brancas do litoral e a calmaria da granja Deus Conosco para aprofundar as reflexões sobre seu futuro político.

Coisas da política

O ex-peemedebista enfrenta dificuldades para conseguir reunir partidos aliados em torno do pequeno PT do B, mas sonha até com um improvável apoio do Palácio da Redenção. Um fato está cada vez mais evidente: Fernando Carvalho poderia não ser o melhor candidato para o PMDB, mas era, certamente, o melhor candidato do PMDB.

Compensação

Do ex-deputado Gilbran Asfora, sobre o alto custo de uma campanha e a “vantagem” do pai, Raymundo Asfora, nesse quesito: “Ele tinha o verbo; Eu, nem verbo nem verba”.

Visita

O vice-prefeito de Foz do Iguaçu (PR) e presidente do PCdoB daquele estado, Chico Brasileiro, estará hoje em Campina participando de reunião com os comunistas locais.

Quem é

Formado em odontologia pela UEPB, Chico Brasileiro é natural da cidade paraibana de Piancó. No Paraná, ele já foi vereador, secretário municipal e é pré-candidato a prefeito.

Espere um pouco

Com agenda movimentada no dia de ontem, quando assinou a desapropriação da Mater Dei, o prefeito VVR acabou adiando o anúncio do escolhido do PMDB. Deve sair hoje.

Publicado no DB de ontem, 11 do 01

Nenhum comentário

.