OPINIÃO: 'AMOR VELHO, MÁGOA NOVA'. E MAIS: VICE-PREFEITO JOSÉ LUIZ JÚNIOR AVISA: 'NÃO ACEITO SER FEITO DE BOBO'

Maior que a mágoa de um ex-marido ou ex-mulher, maior que a antipatia de um ex-amigo, maior que o desejo de forra de um ex-empregado, só mesmo tudo isso junto em um ex-aliado político. É um tal de “passar na cara” o bem que se fez; é um tal de avisar: “eu sei o que vocês fizeram no verão passado”; é um tal de se desfiar um rosário de termos repetitivos, como traição, ingratidão, cuspiu no prato que comeu; é o velho negócio de se enxergar uma vastidão de defeitos onde antes via-se e exaltava-se uma infinidade de qualidades; é a mudança no foco, de modo que quem antes dizia “seu trabalho tem falhas, ninguém é perfeito, mas...” (e vinha quase um panegírico), agora fala que “tem qualidades, no entanto...” (e mostra-se que mau político o outro é).

Existe uma infinidade de histórias que evidenciam o quanto de amargor há nas relações políticas rompidas. Aí estão os exemplos de Argemiro de Figueiredo e José Américo de Almeida; de Elpídio de Almeida e Plínio Lemos; de Ronaldo Cunha Lima e José Maranhão; de Enivaldo Ribeiro e Vitalzinho; de Cássio Cunha Lima e Cozete Barbosa; de Daniella Ribeiro e Ricardo Coutinho... De Fernando Carvalho e Veneziano Vital. Sobre este caso, em poucos meses a relação entre o vereador e o prefeito se deteriorou completamente, a ponto de Carvalho hoje já admitir que é oposição.

Questionado por um ouvinte, durante entrevista no rádio, sobre o porquê da rejeição do seu nome por Veneziano, apesar de ter sido um dos mais fieis soldados do prefeito, Fernando não encobriu as feridas. “Provavelmente, não consegui conquistar a confiança? Como não se conquista, se você abriu mão de tantas coisas e enfrentou tantas adversidades em nome de um projeto? Projeto que, acreditei, poderia mudar a história de Campina. Mas, as pessoas mudam. Lamento porque não tive a capacidade de fazer com que o grupo entendesse a nossa lealdade e porque os rumos mudaram durante a caminhada. A vida, lá na frente, dirá para todos nós quem acertou e quem errou”.

Enfático

Palavras do vice-prefeito José Luiz Júnior, que decidiu manter sua pré-candidatura a prefeito pelo PMDB, apesar da oficialização de outro nome. “Não tenho raiva, muito menos ciúme da candidatura de Tatiana Medeiros. Só não aceito ser feito de bobo”.

Biodiversidade

O ex-deputado Walter Brito Neto, que também ainda almeja a indicação do PMDB, virou alvo de piadas ontem, na internet, após afirmar, no Twitter, sonhar que espécimes marinhos possam habitar o Açude Velho. “Espero que possamos um dia ter em nosso Açude Velho toda espécie de animais marinhos, águas limpas e atrativos turísticos”.

Outra vez

A corte do Tribunal Regional Eleitoral rejeitou, ontem à tarde, por ampla maioria, mais um recurso contra a expedição dos diplomas do prefeito Veneziano Vital do Rêgo e do vice-prefeito José Luiz Júnior, acusados de abuso de poder econômico e político.

Repetitivo

Mais uma vez, o único voto pelo provimento do recurso foi o do juiz corregedor João Batista Barbosa. Alguns magistrados criticaram a recorrência de algumas denúncias, repetidamente apreciadas e rejeitadas pelo plenário do TRE. As críticas mais veementes partiram dos juízes João Bosco Medeiros de Sousa e Miguel de Britto Lyra Filho.

É lei

O prefeito Veneziano Vital do Rêgo sancionou na manhã de ontem a Lei Complementar que institui o Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração dos servidores da Secretaria de Saúde.

Modelo

A secretária Tatiana Medeiros comemorou a sanção da nova lei. “Desprecarização, Plano de Cargos, contratação através de concursos: este é nosso modelo de fazer saúde”.

Desconhecimento

Curiosamente, a presidência da Câmara Municipal não sabia confirmar, até o fechamento desta edição, se houve vetos às emendas aprovadas na Casa, e quais teriam sido.

Ninguém sabe

O presidente do Sintab, Napoleão Maracajá, criticou a desinformação em torno das emendas. “As coisas em Campina Grande têm sido feitas assim, às escondidas”, afirmou.

Publicado no DB de ontem

Nenhum comentário

.