RICARDO SEM DEFESA EM CAMPINA

O vereador Antônio Pereira fez duras críticas, na tribuna da Câmara Municipal durante a sessão de ontem, ao governador Ricardo Coutinho. Irritado com a criação da Secretaria Estadual da Fazenda, que absorveu as antigas secretarias de Finanças e da Receita, Pereira, que é agente fiscal, acusou Ricardo de estar conduzindo a Paraíba ao retrocesso. “No Brasil inteiro se estuda para seguir o que a Paraíba vinha fazendo. Na América Latina e em toda a Europa, quarenta países vêm buscando dar autonomia às secretarias da receita, focadas única e exclusivamente na arrecadação. Nosso estado, que havia dado o exemplo, lamentavelmente retrocedeu, trazendo prejuízo à sociedade”.

Fechando sua fala, Antônio Pereira subiu o tom. “Nós estamos precisando de um governador que tenha capacidade, condição e equidade, que tenha equilíbrio emocional para reger esse estado, que há muito tempo precisa ser regido com qualidade, mas, infelizmente, o que estamos assistindo é o ‘quero, posso, mando’”, atacou. Uma fala tão virulenta só podia provocar uma reação de aliados do governador. Mas, não provocou. Primeiro porque não havia, naquele instante, nenhum deles em plenário. De qualquer forma, ainda que estivessem todos, conforme se pôde observar em ocasiões anteriores, dificilmente haveria alguma resposta. É fato: Ricardo não tem defesa na CMCG.

Aliás, tem poucos aliados dispostos a defendê-lo em toda a Campina Grande, de Santa Terezinha a São José da Mata. E as razões são óbvias: o primeiro ano de medidas amargas, as decisões impopulares, a pressão sem descanso de boa parte da mídia. Como a política é a arte do oportunismo, caso as ações que o governador promete para 2012 se confirmem, a tendência é que a imagem da sua administração na cidade ganhe novo colorido. Aí, não faltarão amigos a ressaltar as qualidades do governo e a exaltar a “beleza silvestre” do governador. É como diz o velho rifão, que expressa perfeitamente a idiossincrasia da classe política: “Jumento carregado de açúcar, até o rabo é doce”.

Bem diferente

Enquanto Ricardo “apanha” sem defesa, ao prefeito Veneziano Vital do Rêgo não faltam advogados. Ontem, o vereador João Dantas voltou à carga contra o peemedebista, mas logo teve seu discurso rechaçado pelo ex-líder da situação, Olímpio Oliveira.

Bate e rebate

João Dantas acusou a prefeitura de criar uma “rede de mentiras”, divulgando reformas de PSF’s que, segundo ele, mal receberam “uma demão de cal”. Em resposta, Olímpio Oliveira disse que há pessoas “com dor de cotovelo”, porque, conforme o vereador, “tiveram a oportunidade de fazer por Campina durante vários anos e não fizeram”.

Controvérsia

O PT campinense está em pé de guerra por conta da presença do vereador neo-petista Laelson Patrício e do suplente Perón Japiassu na reunião convocada por Lídia Moura, coordenadora política da PMCG, para formação do chamado Fórum Partidário.

Vai render

O fórum deve voltar a se reunir em janeiro. Uma das principais iniciativas do grupo será a discussão sobre a candidatura majoritária do PMDB nas eleições 2012. Ontem, membros de uma das alas do PT desautorizaram o secretário executivo do prefeito, Hermano Nepomuceno, que mencionava o partido como um dos integrantes do fórum.

Lá e cá

Assim como já ocorre com o conselho político de Luciano Agra na Capital, está lançada a polêmica sobre a participação do PT no fórum de partidos de Veneziano em Campina.

Lembrando

Conforme estamos há muito ponderando, é mais do que óbvio que Veneziano não abrirá mão facilmente da presença do PT na coligação majoritária para a dificílima eleição 2012.

Tem mais

Quando trocou o PT do B pelo PT, Laelson Patrício confirmou, com a própria boca, que havia saído da antiga sigla porque lá haveria candidato próprio. Para bom entendedor...

Drogas

Atendendo a requerimento de Olímpio Oliveira, a CMCG realizou ontem o primeiro ciclo de debates “Crack e outras drogas: construindo uma rede para o enfrentamento”.

Publicado no DB de sexta, 16 de dezembro

Nenhum comentário

.