PCCV VIROU BATATA QUENTE

Tudo indicava um fim de ano sem maiores turbulências na Câmara Municipal de Campina Grande. Mas, conforme previsto pelo Diário Político, a chegada do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos dos servidores da Secretaria de Saúde modificou completamente esse panorama. Os vereadores, principalmente os dez que compõem a bancada de sustentação do prefeito, sabem que estão “no paredão”. Parte dos servidores pressiona o legislativo, pedindo a apresentação e aprovação de emendas que adéqüem o plano às expectativas de todos. Por outro lado, o executivo não quer que o PCCV seja modificado. Pressão de um lado, pressão de outro, como reagirão os parlamentares?

Curiosamente, foram dois vereadores de oposição que definiram o sentimento dos edis. Para João Dantas, o PCCV, da forma que foi encaminhado à Câmara, seria uma “casca de banana” do executivo; para Tovar Correia Lima, é uma “batata quente” nas mãos dos vereadores. “O presidente do Sintab subiu aqui na tribuna para dizer que, se votássemos o plano da forma que está, nós seríamos penalizados. O que temos a ver com isso? O papel da Câmara é votar, já que o projeto foi debatido com as entidades ligadas ao sindicato e à prefeitura. Agora, chegar alguém e jogar essa batata quente na nossa mão, dizendo que a culpa é nossa se a gente votar, pelo amor de Deus”, disse.

Além de corroborar o discurso de Tovar, o peemedebista Pimentel Filho afirmou que o parlamento-mirim tem até ido além da sua obrigação. “O dever desta casa era simplesmente votar o projeto. Mas, nós abrimos espaço, conversamos, fizemos reuniões com diversas categorias, recebemos as propostas (...). Acho que esse é o nosso papel”, comentou. Por fim, o vice-líder da bancada governista, Cassiano Pascoal, defendeu a votação célere e responsabilizou o Sintab pelas controvérsias que cercam a matéria. “Eles (os servidores da Saúde) estão sendo prejudicados por essa querela que surgiu, provocada pelo Sintab, de jogar profissionais do PSF contra profissionais da rede”.

Data marcada

Cassiano Pascoal também anunciou que, em reunião com a líder da bancada de oposição, Ivonete Ludgério, foi decidido que o projeto que institui o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos dos servidores da Saúde será votado na próxima quarta-feira.

Confusão

O vereador Fernando Carvalho reclamou da grande divergência de posicionamento dos representantes dos servidores quanto ao texto do Plano de Cargos. “Vem um grupo e diz que é preciso mudar o projeto, porque não atende aos anseios de todas as categorias; pouco depois vem outro grupo e solicita que a matéria deve ser aprovada como está”.

Absurdo

O vice-presidente da Aspol, Júlio César da Cruz, lamentou a agressão, por parte de um delegado, à reportagem da TV Borborema, durante a cobertura do caso envolvendo o jogador Marcelinho. Aliás, esse delegado precisa ser duramente punido.

Barbaridade

Armado e fora de si, o delegado Rodrigo Rego Pinheiro ameaçou repórteres, xingou, prometeu “perseguir” o câmera, segurou outro cinegrafista pelo braço e atacou os equipamentos dos jornalistas. O vídeo da TV Borborema é uma prova chocante de uma seqüência de crimes injustificáveis contra profissionais que apenas cumpriam seu dever.

Histórico

Rodrigo Pinheiro já respondeu a procedimento, acusado de usar viatura como carro particular e beber em serviço. Segundo a Secretaria de Segurança, o policial foi afastado.

In loco

O prefeito Veneziano Vital, seguindo recomendação do irmão, Vitalzinho, esteve em Brasília, fazendo pressão para que as emendas destinadas a Campina não sofram cortes.

Reunião

Acompanhado de Vitalzinho e da deputada Nilda Gondim, Veneziano, segundo sua assessoria, conversou com o Relator Geral do Orçamento, o deputado Arlindo Chinaglia.

Promessa

Arlindo Chinaglia teria prometido a Veneziano “atuar direta e decisivamente para que Campina não seja penalizada com qualquer alteração nas emendas da cidade”. Tomara!

Publicado no DB de 01 de dezembro

Nenhum comentário

.