LÍDIA NEGA MANOBRA

A jornalista Lídia Moura, coordenadora de assuntos políticos da Prefeitura de Campina Grande, negou que o grupo ligado ao prefeito Veneziano Vital do Rêgo tenha promovido qualquer tipo de manobra visando impedir candidaturas majoritárias de outros partidos. O comentário de Lídia foi uma resposta aos artigos das duas últimas edições do Diário Político. A coordenadora explica que o Fórum de Discussões, que agrega legendas aliadas, jamais considerou qualquer tipo de interferência em outras siglas. Dois partidos que mandaram representantes para a reunião do último dia 13, que tratou sobre a instalação do fórum, planejam lançar seus próprios candidatos.

Trata-se do PT e do PSC. Sobre o PC do B, que tem como pré-candidata a reitora Marlene Alves, Lídia assegura não haver “nenhum movimento”, negando a versão de alguns comunistas de que o Palácio do Bispo teria tentado impedir a entrada da professora na disputa. Já sobre o PTB, que tem como pré-candidato o empresário Artur Bolinha, a coordenadora diz ter dúvidas sobre essa candidatura. “É um cenário que nunca me pareceu certo, prego batido ponta virada. Já vimos essa mesma discussão, com os mesmos personagens, em outros pleitos”. Ela prossegue: “No caso de Fernando Carvalho, ele está com dificuldades para agregar partidos em torno do seu nome”.

Quanto à suposta manobra para tirar o deputado Guilherme Almeida (PSC) do pleito, Lídia Moura garante que a licença de Nilda Gondim (PMDB), favorecendo Leonardo Gadelha (PSC), não tem nada a ver com 2012, mas com 2010. “A posse de Leonardo Gadelha vem de acordos da campanha. Eu testemunhei esse acordo feito junto com José Maranhão de que o primeiro suplente iria assumir. Creio que esse acordo passa pelos votos dados a Vitalzinho para senador, e não pela campanha que ainda virá”, justificou. Além de coordenadora política da Prefeitura Municipal de Campina Grande, a jornalista Lídia Moura é presidente do diretório estadual do PMN.

Número 6

O PMDB pode ganhar um sexto pré-candidato a prefeito, o vereador Olímpio Oliveira. Animado por correligionários e pesquisas que o apontaram como o vereador mais bem avaliado de CG, ele estaria propenso a se apresentar como mais uma alternativa.

Rejeição

Segundo Walter Brito Neto, outro prefeitável peemedebista, há uma forte oposição ao nome da secretária Tatiana Medeiros dentro do partido. Ele, como mostramos no Diário Político de ontem, assume ser um destes opositores, e cita o vice-prefeito como outro exemplo. “Zé Luiz tem resistido ao nome de Tatiana, assim como outras várias pessoas”.

Voto

O vereador Rodolfo Rodrigues, do PR, líder da bancada de situação na Câmara Municipal e representante do legislativo-mirim no Conselho Municipal de Transporte de Campina Grande, votou a favor do reajuste das passagens de ônibus para R$ 2,20.

Roteiro

Falando no Conselho de Transporte, a encenação repete-se todos os anos: o grupo aprova um aumento elevado; os representantes das empresas de transporte coletivo choramingam que o reajuste mantém a planilha deficitária (coitados!); o povo reclama; e o executivo confirma um aumento, mas com índice abaixo do aprovado pelo conselho.

Senha

Durante a festa de confraternização da PMCG com a imprensa, o prefeito Veneziano esteve sempre ao lado de Tatiana Medeiros. Já os outros prefeitáveis não apareceram.

Defesa

O senador Cássio Cunha Lima (PSDB) saiu em defesa do governador Ricardo Coutinho (PSB), apontando uma série de realizações da atual gestão estadual em Campina Grande.

Silêncio

No entanto, apesar da sua condição de líder tucano, o senador até agora silencia quanto aos freqüentes torpedos que o vereador Inácio Falcão tem direcionado contra Ricardo.

Comemoração

Armando Abílio completou ontem 68 anos. E, mostrando que continua o mesmo, promoveu um escarcéu numa rádio comunitária, expulsando de lá um vereador adversário.

Publicado no DB de 30 de dezembro

Nenhum comentário

.