JORNALISMO DE QUALIDADE

O Diário da Borborema não é apenas o mais antigo jornal em circulação em Campina Grande. É o grande jornal de Campina, porque tem a cara da cidade, porque é, de fato, um diário que, há 54 anos, registra a história de Campina e da região da Serra da Borborema, sem perder o foco nos acontecimentos estaduais, nacionais e mundiais. “Apenas” isso já tem um grande significado e transforma o cinqüentão DB num patrimônio histórico e cultural paraibano. É um legado que nos orgulha, sendo grande honra para todo jornalista fazer parte dos Associados, imprimindo também seu nome nessa história. Mas, o Diário não tem a contar somente seu passado reluzente.

A despeito dos novos tempos e suas imposições, dos novos desafios aos jornais impressos, a despeito de vivermos a era da informação em tempo real, o DB não apenas sobrevive, mas vive vigorosamente, escrevendo a história, fazendo história, e produzindo jornalismo de alta qualidade. È um jornal que tem sabido captar o momento, entendendo seu papel dentro da nova realidade das comunicações e, assim, pautando-se por um jornalismo que aprofunda a informação, identifica o leitor com a notícia, analisa, repercute e busca ir além do mero factual. Tem dado certo. Na última semana, o Diário da Borborema levou o 1°, 2° e 3° lugares no Prêmio 6 Sigma de Jornalismo.

O 1° lugar foi para a série “Exército de Mutilados”, de Severino Lopes. Com as reportagens “Por que os campinenses não respeitam a Lei Seca” e “Esgotos e Lixo poluem Boqueirão”, Márcio Rangel abocanhou o 2° e 3° lugares. Não parou por aí. A série assinada por Severino conquistou o bicampeonato do Prêmio AETC no segmento de impresso, e Juliana Santos recebeu o prêmio de melhor fotografia. As conquistas são o reconhecimento a um trabalho feito em equipe, com dedicação, paixão profissional e ética. Elas honram e alegram a todos que fazem o DB. Mas, o nosso maior prêmio é você, leitor, e nosso maior objetivo é continuar fazendo jornalismo de qualidade.

O nome

O presidente do PTB municipal, José Artur Almeida, que é pré-candidato a prefeito de Campina Grande, já resolveu que nome vai usar na campanha e na urna eletrônica. Após estudos e reflexões, o petebista decidiu que o nome será Artur Bolinha.

Na paz

A deputada estadual Daniella Ribeiro, que deverá ser candidata a prefeita pelo PP, garante que, tanto antes quanto durante a campanha, não vai entrar na onda dos ataques pessoais. Daniella evita tecer críticas à gestão do prefeito Veneziano Vital do Rêgo. “Ninguém vai me ver tentando destruir pessoas. Isso aí eu não vou fazer”, assegura.

Quase fechados

Chefes do PV e do PC do B estiveram reunidos para discutir a possibilidade de formação de uma aliança para as disputas majoritárias do ano que vem. O PV tem pré-candidato, o professor Washington Furtado. Os comunistas, idem, a reitora Marlene Alves.

Relação

Os verdes têm como vice-presidente o também professor José Cristóvão de Andrade, que preside a Associação dos Professores da UEPB (AduePB) e é companheiro de lutas de Marlene Alves. Fala-se que Andrade poderia ser o vice da reitora. Apesar de estar em adiantadas negociações com os comunistas, o PV também dialoga com Artur Bolinha.

Lamentável

A Assembleia Legislativa da Paraíba fecha de forma patética um ano patético, em que, como em outras ocasiões da pouco lustrosa história do parlamento estadual, transformou as atividades legislativas num circo de interesses particulares e nada republicanos.

Exigência

Os deputados de oposição querem porque querem que o Governo do Estado ceda às suas vontades, sangrando o já debilitado orçamento para dar a cada parlamentar o poder de fazer emendas de até R$ 3 milhões. Um comportamento repudiável e deplorável.

Jamais

O governador Ricardo Coutinho, que volta e meia é acusado de ser autoritário e mantém uma relação tempestuosa com a Assembleia, precisa dizer não a mais esse abuso, além de denunciar o oportunismo sem limites dos nossos deputados. Uma grande vergonha.

Publicado no DB de domingo, 18

Nenhum comentário

.