HOJE, FÉLIX ARAÚJO COMPLETARIA 89 ANOS. COMO HOMENAGEM, UM DOS SEUS MAIS BELOS POEMAS: 'MEU LIVRO'

Meu livro sem esperança
Será como a flor perdida
De um galho que se balança
Sobre a corrente da vida

Num dia qualquer, de breve
Ventania ou de sol quente,
Cairá a flor de neve
Na merencória corrente.

O pescador, da outra margem,
Sorrirá, num gesto lento
Vendo-a descer de viagem
Para o mundo do esquecimento.

Mas, a minha alma esquecida
Cantará, em meio à bruma:
– Inda que pobre, deu uma
Rosa à corrente da vida.

(Félix Araújo)

2 comentários

Sergio Pimentel disse...

Bela homenagem. Félix Araújo falece no ano de 1953, mesmo ano do encerramento das atividades da “Fruteira de Cristino” da qual era um dos seus ilustres freqüentadores. E por falar na “Fruteira”, há 40 anos em 31/12/1971, falecia Cristino Pimentel, pai, avô, cronista, escritor e profundo conhecedor da história de Campina Grande. Esse também merece uma bela homenagem!

Lenildo Ferreira disse...

Caro Sérgio, pelo sobrenome, você é familiar do grande Cristino. No Diário Político, porei uma nota em homenagem a ele. Se você tiver mais informações sobre Cristino e desejar publicar um texto sobre esta importantíssima figura, terei prazer de postá-lo aqui no blog. E tenho certeza que o pessoal do Retalhos Históricos de Campina Grande, também. Qualquer coisa, deixa um e-mail para contato. O meu é lenildoferreira@gmail.com. Obrigado e um forte abraço

.