FALCÃO INCENDEIA O NINHO

O vereador Inácio Falcão resolveu atear de vez fogo no ninho tucano, e revelou ontem ao Diário Político que está bastante propenso a votar na reitora Marlene Alves (PC do B) para prefeita de Campina Grande nas eleições do ano que vem. “Tenho uma excelente relação com a reitora e uma profunda admiração pelo trabalho que ela vem realizando na Universidade Estadual da Paraíba. A verdade é que Marlene transformou a UEPB, num trabalho impressionante, e tenho certeza que ela, chegando à prefeitura, vai transformar essa cidade”, comentou o parlamentar. Falcão ainda se mantém pré-candidato a prefeito, mas admite que suas chances dentro do PSDB são mínimas.

O tucano mostra que a mágoa com seus correligionários é antiga. “Minha pré-candidatura continua de pé. Vou bater chapa na convenção do partido, mas, acho que não vou ter o espaço que acredito que deveria ter. Até porque se eu tivesse esse espaço, hoje seria presidente da Câmara. Então, se não tive espaço para ser presidente da Câmara, imagina para ser candidato a prefeito! E, se não houver espaços, vou trilhar os caminhos de Marlene”. Falcão não esconde que pouco se importa com a reação dos seus correligionários. “Será que o partido está preocupado com Inácio Falcão? Será que só eu posso abrir mão de tudo, e o partido não pode abrir mão de nada?,” questionou.

O que realmente leva Inácio Falcão a ameaçar rebelar-se contra o partido é sua má relação com o governador Ricardo Coutinho – relação que degenerou de vez nas últimas semanas. Ele avisa: “Não voto no candidato do governador”. E explica: “Quem receber o apoio do governador, é porque comunga das suas práticas”. O vereador pode mudar de idéia? Pode, com uma condição: “Se o PSDB mudar sua metodologia política, voto em Romero Rodrigues ou qualquer outro candidato que o partido indicar”. Por “metodologia política”, entenda-se rompimento com Ricardo. Como se vê, Falcão é tucano bicudo. E os outros tucanos, o que dirão? Uma aposta: ficarão de bico fechado.

Perspectivas

Durante uma das suas falas ontem, em CG, o governador Ricardo Coutinho disse que “a Paraíba não pode viver alimentando disputas internas”. Ele fez um balanço das realizações do seu governo na cidade em 2011 e prometeu mais realizações em 2012.

Sem competição

Ricardo Coutinho ainda afirmou que “o governo estadual não faz concorrência com os municípios”, mas precisa agir para socorrer os cidadãos, quando as gestões municipais não o fazem. “O município não resolve o problema da população? Não posso perder tempo. A população precisa, o município não faz, o estado faz”, declarou o governador.

Sem problemas

O vereador Antônio Pereira, presidente da Comissão de Orçamento e Finanças da Câmara Municipal, negou que haja qualquer empecilho para a votação da LOA 2012. Seja como for, a matéria não foi votada ontem, e as explicações não são as mais claras.

É só chamar

“Eu espero que seja votada até esta quinta-feira. Não vejo razão para estarmos aqui na próxima semana discutindo esse assunto. No que depender de mim, a LOA está pronta, não tem nenhuma modificação a ser feita. Na hora em que formos chamados, estou com o parecer pronto”, garantiu Antônio Pereira ao Diário Político, ontem pela manhã.

Contato

Sobre as notas “Sumidos” e “Off total”, da coluna de ontem, Antônio Pereira afirmou que não foi registrada em seu celular nenhuma ligação que tenha deixado de ser atendida.

Ataque

Injuriado com as críticas do ex-deputado Gilbran Asfora (PSD) à gestão municipal, o gerente de comunicação na PMCG, Josué Cardoso, rebateu, atacando dois ex-prefeitos.

“Da vida”

“Vocês não apostavam nada em Veneziano. Achavam que Veneziano ia ser uma Cozete ou Félix Araújo da vida”, disse Josué. O comentário, claro, não foi bem digerido pelos Araújo.

Asfora

Sem citar nomes, Josué ainda fez menção à figura do tribuno Raymundo Asfora, para cutucar seu filho, Gilbran. “Nem sempre é tal pai, tal filho. A diferença é grande mesmo”.

Publicado no DB desta quarta

Nenhum comentário

.